Caminhões antigos e novos: os sucessos do presente e passado no mercado nacional

0
1705
Um caminhão Scania R440

Novos veículos surgem no mercado todos os anos e transformam os desejos dos motoristas. Sejam releituras, modelos mais atualizados ou apenas versões mais tecnológicas de caminhões antigos de determinada fabricante, o mercado se aquece e proporciona cada vez mais novidades.

Todos esses ganham muitos adeptos, que apreciam a tecnologia e desejam comprar um novo veículo. Mas, por outro lado, também há quem prefira os caminhões um pouco mais antigos e com características únicas.

Pensando nisso, decidimos relembrar quais são esses caminhões antigos e novos e dar uma volta entre passado e presente, ressaltando os sucessos e as características de cada época.

Ford: F-12000 L e o F-14000 HD x Torqshift

Na década de 90, a montadora teve dois modelos de caminhões que foram verdadeiros sucessos: o F-12000 L e o F-14000 HD, que receberam o curioso apelido de “sapão”.

Ambos eram muito utilizados no transporte de cargas em centros urbanos, áreas rurais e pequenos percursos rodoviários, focados principalmente no transporte de gás, de bebidas, de carne seca e também basculante.

Eles utilizavam motor diesel MWM, 6,1 litros aspirado com 142 cavalos de potência e transmissão Eaton FS-4205 com 5 marchas sincronizadas, símbolo de modernidade para a época.

Bem diferente daquela época, atualmente a Ford possui o Cargo Power modelo C-3031 8×2 Torqshift, que possui o motor mais potente da categoria de caminhões médios e pesados.

Os benefícios desse modelo recente e muito comentado no mercado são muitos, mas deve-se enfatizar o PBT de até 31 toneladas e motor diesel até 7 litros, além da transmissão Torqshift automatizada que traz muito mais conforto ao motorista.

Iveco: Daily x HI-WAY

A Daily começou a ser fabricada no Brasil e se tornou um verdadeiro clássico no mercado nacional. Prova disso é que o veículo desenvolvido para diversos setores do transporte de carga continua sendo o produto mais vendido da marca.

Atualmente, já existem diversas variações do Daily, que pode comportar 3, 3,5, 4, 5,5 e 7 toneladas. Os diferentes modelos são importantes, pois fornecem ao motorista opções individualizadas para cada tipo de transporte.

A versão de 3,5 toneladas é líder de mercado e conta com quase 60% de participação no segmento de chassi-cabine. Esse modelo não tem restrições de circulação e pode até mesmo ser dirigida com a carteira B.

Já as versões de 4, 5,5 e 7 toneladas funcionam perfeitamente como VUC (Veículo Urbano de Carga), fazendo com que toda a família possa circular dentro de zonas de restrição nos grandes centros urbanos a qualquer hora do dia, o que facilita as operações dos clientes que trabalham no varejo e dependem de uma distribuição eficaz.

O Hi-Way, por sua vez, é projetado para percorrer longas distâncias, proporcionando economia na manutenção, na operação e no consumo de combustível.

Com equipamentos de última geração e recursos exclusivos, o modelo garante uma direção segura. Além da tecnologia, o veículo tem itens de conforto como o ar digital, geladeira, cortina frontal elétrica, basculamento elétrico da cabine e cama High Comfort, com 2 m de comprimento e 80 cm de largura.

Na linha Hi-Way, para otimizar o consumo de combustível e os custos operacionais em todas as condições de operação, o cliente conta com o “modo econômico”, acionado por meio da tecla ECO no painel.

Scania: Série 3 x R 440

A Scania Série 3 revolucionou o mercado e foi um dos caminhões mais importantes enquanto esteve à venda, entre 1991 e 1998. A linha possuía motores mais potentes que os dos concorrentes na época e também índices de emissões e consumo de combustível reduzidos.

Assim, esses caminhões podiam viajar com uma velocidade média mais alta, com menos trocas de marchas e também com um consumo menor, o que consequentemente gerava um custo operacional menor.

O T 113 H 4X2 360 foi a versão de maior sucesso, vendendo 19.314 unidades. A popularidade do caminhão podia ser explicada por todos os seus atributos, que além das vendas, fizeram esse modelo ser eleito o “Caminhão do Ano” três vezes seguidas.

Outro campeão de vendas da marca é o Scania R 440, que foi o mais comercializado no Brasil no ano de 2017. Além disso, desde 2012, quando foi lançado, ele figura entre os mais populares caminhões do mercado.

Tudo isso se deve a alguns fatores: desde a economia de combustível superior até a rentabilidade e o conforto em comparação aos concorrentes. Com um motor de 13 litros que gera 440 cavalos e torque de 234,5 kgfm, o modelo é caracterizado por manter altas velocidades médias, mesmo em topografias variáveis e irregulares.

Volvo: FH no passado e no presente

Diferente das outras marcas, decidimos colocar o Volvo FH como representante do passado e do presente da marca. O modelo desembarcou no Brasil em 1993 e, desde então, é referência no mercado e muito lembrado por diversos caminhoneiros.

”Trazer o FH em 1994 para o Brasil, então ainda um país que desconhecia tanta tecnologia em veículos comerciais, foi uma decisão ousada, e que se transformou num ponto de inflexão na história do transporte brasileiro”, lembra o diretor de Caminhões da Volvo no Brasil, Bernardo Fedalto.

A linha FH chamou atenção do mercado logo após o lançamento, principalmente por contar com um design moderno e diferenciado, cabine alta e uma alta tecnologia nos diferentes processos relacionados ao caminhão.

O tempo possibilitou à marca desenvolver cada vez mais e melhorar a potência dos caminhões novos, se tornando o sexto veículo mais vendido de 2017, com uma participação no mercado de 19,8%. “O FH é um veículo repleto de novas tecnologias, reconhecido mundialmente por ser o mais avançado no setor”, ressalta Bernardo Fedalto.

Atualmente, o modelo é uma ótima opção para os que desejam percorrer distâncias rodoviárias longas. Nos modelos 4×2 aos 8×4, o caminhão conta com 460 cavalos de potência e 235kgfm de torque, com 1000 a 1400rpm associados diretamente à uma caixa de transmissão automatizada.

Apesar de todas as diferenças, é muito interessante traçar o comparativo e entender como os caminhões eram e como estão atualmente. Mas afinal, e você, é adepto de toda a tecnologia que os novos modelos podem proporcionar ao motorista ou prefere o charme dos  caminhões antigos e tradicionais com mais anos no mercado?

Leave a reply