Tradição e eficiência

0
234

Victor Carvalho, diretor de Vendas de Caminhões da Scania no Brasil, fala do atual momento da montadora e do segmento de caminhões.

Revista Caminhoneiro – Como está o mercado atual de caminhões?

Victor Carvalho – O mercado até maio caiu acima da nossa expectativa, representando um pouco mais de 28% de queda. A Scania começou 2016 fazendo uma projeção de cerca de 10% de queda. Hoje, avaliando a nova realidade, consideramos que a baixa ficará entre 15% e 20% em relação ao ano passado.

 

Caminhoneiro – Qual é a situação da Scania nesse momento?

Carvalho – A Scania mantém a sua estratégia de recuperar a sua participação e atingir 15% em um mercado acima de 16 toneladas.  Se olharmos de janeiro a maio, a Scania caiu menos que o mercado geral que foi de 28,7%, enquanto a Scania registrou 21,4%. Quando analisamos os números de participação até o ano passado era de 11,7% e hoje já alcançamos 12,9%. Este ano, o segmento de caminhões começou mais equilibrado. Em 2015, a Scania sentiu muito os concorrentes que tinham estoques de caminhões produzidos em 2014.

 

Caminhoneiro – Você arrisca uma previsão de recuperação para o segmento de caminhões?

Carvalho – A Scania, se considerar um cenário mais otimista, arrisca um começo de recuperação a partir do próximo ano. Isso se o cenário político ficar mais estável. O segmento de Transporte depende do desempenho da economia do País. Enquanto essa recuperação não acontece, estamos procurando oportunidades de negócios, como no varejo que engloba pequenos e médios transportadores e trabalhando a individualização das regiões. Enfim, buscamos novas alternativas para a Scania crescer.

 

Caminhoneiro – Como está o relacionamento montadora e rede de concessionários?

Carvalho – O frotista voltou a fazer negócios, mas em escala bem menor. O Brasil tem muito espaço para crescer e renovar sua frota de caminhões. A Scania tem trabalhado com a sua rede a questão da eficiência em todos os aspectos, destacando pontos principais na área de serviços. Quando teve a crise na Europa, os concessionários conseguiram passar por ela graças a atuação forte no segmento de serviços. Aqui não é diferente e estamos buscando trazer oportunidades para dentro dos concessionários com intuito de aumentar as vendas de serviços, reduzindo os custos operacionais dos nossos clientes. Para tal, investimentos na eficiência das oficinas, acompanhando as vendas de serviços e ofertando programas de manutenção, entre outras ações. No ano passado, no segmento de caminhões pesados, mesmo que em queda, 13% das nossas vendas foram para novos clientes e no semipesados 24%. Estamos fazendo um trabalho muito forte de individualização de regiões, considerando que a rede Scania é a mais estruturada no mercado.

 

Caminhoneiro – Fale-me dessa nova fase da competição Melhor Motorista de Caminhão do Brasil (MMCB) e atualmente, Scania Driver Competitions, com foco na América Latina.

Carvalho – Foi uma grande conquista. Fazer parte da competição global e criar desafios para a América Latina dará mais peso à organização. O prêmio é o tão sonhado caminhão, Streamline Highline R 440 6×2, mas o principal é que a Scania é a única fabricante a promover uma competição entre motoristas focada na qualificação. Acreditamos que o condutor é o elo na cadeia de transporte que pode mudar as estatísticas de acidentes nas estradas. A experiência de edições anteriores comprovou que um motorista capacitado tem papel fundamental para tornar as viagens mais produtivas, reduzindo o consumo de combustível e contribuindo para o meio ambiente. Outro ponto principal e a valorização da profissão. A opinião do vencedor da MMCB de 2014, Eliardo Locatelli, foi muito pertinente quando falou que o que mais lhe motivou em participar da competição foi a vontade de aprender e a sua satisfação pessoal. Ele vê o prêmio como uma consequência de tudo isso.

 

Caminhoneiro – Este ano, a Scania pretende lançar novos produtos?

Carvalho – Vamos dar sequência à mesma estratégia no Brasil, acompanhando o que acontece no mercado nacional. Em 2015, lançamos o cavalo mecânico 8×2 em julho, depois apresentamos o Griffin Edition, série limitada inspirada no símbolo da empresa, o grifo e também apresentamos a cabine estendida para as versões 4×2 e 6×2 dos modelos P 250 e P 310 da linha de caminhões semipesados. Todos os nossos caminhões são muito econômicos e trazem um excelente custo/benefício, como o R 440.

 

Caminhoneiro – Envie uma mensagem para os nossos leitores

Carvalho – Caminhoneiros façam as suas inscrições, vão de 9 a 31 de agosto, e participem do Scania Driver Competitions. Todo o processo de inscrição e participação da primeira e segunda fases será feito pelo site www.scaniasdc.com.br ou por aplicativo. Esse é um momento para você investir em si mesmo e buscar a sua qualificação profissional. Aos frotistas solicito que motivem os seus motoristas a participarem da competição e que continuem investindo em treinamento e capacitação, porque só quem tiver o máximo de eficiência irá conseguir sobreviver no segmento de Transporte nos próximos anos. O principal agente que influencia no custo operacional do caminhão é o motorista. Então, é fato que para sobrevier e passar essa fase, o empresário do transporte precisa estar com as contas na ponta do lápis.

Fique por dentro de todas as novidades da Revista Caminhoneiro!


Leave a reply