Pit stop à saúde

0
541

As mulheres que desbravam as estradas têm a noção que cuidar da saúde é fundamental.

Apesar de ainda não representarem um grande percentual no mundo dos caminhões, o número de mulheres caminhoneiras está crescendo ano após ano. O que é muito importante não só para elas, mas também para que a profissão se torne um pouco mais democrática.

Alguns motivos incentivam o aumento dessas caminhoneiras nas estradas. Entre os quais, a atenção e o cuidado com o caminhão e com a carga que está sendo transportada.

Contudo, não basta apenas dividir sua atenção para os cuidados com o bruto. É necessário também ficar atenta com a saúde dessas profissionais. Um bom exemplo é Elisabete da Silva Lopes, 37 anos, e mãe de duas filhas: Manuelle Merôto Versori, 16 anos e Rafaelle Merôto Lopes, 8 anos. Elisabete é caminhoneira há 12 anos e dirige o Scania Streamline R440 que tem composições que levam grãos, produtos perigosos e inflamáveis, frigoríficos e cargas secas em geral baú. Ela percorre os estados de SP, PR, MT, MS, RJ, BA, ES, GO e MG.

Quando a reportagem da revista Caminhoneiro perguntou como é tratada quando se apresenta como caminhoneira? Logo respondeu: “Graças a Deus nunca tive problemas, sou superbem tratada e recebida, tanto em clientes, nos postos, descargas, enfim, somos admiradas e respeitadas pela dificuldade do trabalho, pelos perigos nas estradas e tamanho da ferramenta de trabalho.

Elisabete tem a consciência que é preciso estar atenta em relação à sua saúde. “Procuro me alimentar bem, com frutas, saladas e muito líquido e caminhar quando estou parada no aguardo de descargas ou carregamento. Até mesmo dependendo dos postos se eu achar seguro e faço exercícios físicos no local. Sempre bom e muito importante estar lembrando e alertando as mulheres, de modo geral, o quanto é importante o cuidado e a prevenção de

doenças, como o câncer de mama, seja qual for a idade e profissão.”

No entanto, a caminhoneira ressalta que falta na estrada segurança principalmente nas paradas, sejam postos fiscais, postos de combustíveis, empresas onde vamos efetuar cargas e descargas e portos. Mas as reivindicações não param aí: “Faltam infraestrutura às mulheres, como banheiros limpos e chuveiros que na maioria temos que usar a infraestrutura masculina”.

Elisabeth faz questão de enviar um recado: “Amigas, irmãs, parceiras, somos guerreiras. Milhões espalhadas por esse mundão de Deus. Ame seu corpo como você ama a estrada. Cuide dele como cuida do seu bruto. Seja feliz com você, como é na sua profissão, assim será uma profissional além de realizada, feliz e prevenida contra o câncer e outras doenças. Ame-se, cuide-se, seja feliz. Mulher feliz é mulher realizada.”

Influenciadora do bem

Outra caminhoneira que é muito respeitada por onde transita é a youtuber Sheila Karina Portella que tem um filho de 21 anos chamado Matheus Portella Demarchi. Ela é caminhoneira há seis anos e, atualmente, transporta carros 0 km, percorrendo todo o Brasil.

Em relação como é recebida quando chega nos lugares enfatiza que sempre foi tratada com todo respeito e admiração. Sheila está atenta com a sua saúde: “Sempre que marco consulta, comunico a empresa e me dão folga para ir às consultas e fazer os exames que acho importantíssimos”.

Sheila Karina Portella diz ser fundamental ter essa campanha “Novembro Rosa”. “É um alerta às mulheres para que façam os autoexames e visitem o ginecologista periodicamente”.

Na sua família, no caso sua avó paterna, já desenvolveu essa doença. “Por ser uma pessoa criada à moda antiga, não tinha conhecimento e não aceitava que nós falássemos. Quando descobrimos, infelizmente, já era tarde demais…”, lembra e continua: “Por vergonha, medo ou receio, muitas mulheres não fazem o autoexame da mama e não sabem o que é anormal em seu corpo. Por isso, na luta contra o câncer de mama, é necessário o

autoconhecimento para que não tenhamos o diagnóstico tardio. Devemos ir ao ginecologista periodicamente ou quando vemos que algo anormal está acontecendo, pois o câncer de mama é a principal causa de óbitos por câncer nas mulheres…Vamos nos prevenir…”, finaliza a youtuber Sheila Portella.

Leave a reply