Os maiores problemas do transporte rodoviário brasileiro

0
1594

O Brasil é altamente dependente do transporte rodoviário ao movimentar diversas mercadorias por todos os cantos do país. De acordo com pesquisa do Banco Mundial divulgada pelo G1, 58% da carga brasileira é transportada por estrada — o maior volume dentre as principais nações do mundo.

Tal dependência acaba gerando alguns problemas que acabam interferindo diretamente no tráfego de cargas desde o planejamento até a logística responsável por fazer o transporte. Dentre os principais, pode-se citar as péssimas condições de algumas rodovias e o alto índice de roubo vivenciado diariamente pelos caminhoneiros.

1- Mau uso das tecnologias

Periodicamente, os métodos de tecnologia capazes de aperfeiçoar o controle da logística do transporte rodoviário de cargas acabam se desenvolvendo cada vez mais. Hoje, é praticamente impossível pensar em uma maior produtividade e eficiência do setor sem fazer uso de ferramentas capazes de, até mesmo, rastrear as mercadorias em transporte.

Portanto, indiretamente, quaisquer empresas relacionadas ao setor, independentemente do porte, precisam estar a par dessa modernidade toda e empregarem-na em sua produção. Mas, não é isso o que acontece de fato.

Muitas empresas acabam tendo dificuldades ao empregarem a tecnologia de controle da produção e monitoramento do transporte rodoviário de cargas em seu cotidiano. Isso porque algumas delas acabam se mostrando despreparadas para receberem tal modernidade e ainda não compreendem sua importância no mercado.

2- Qualidade e estado de conservação da frota

Mesmo com diversos veículos novos incorporados às frotas das grandes logísticas, muitas ainda possuem caminhões com mais de 20 anos de operação pelas estradas afora. Além de poluírem mais o ar com a queima de diesel, os comboios são de difícil manutenção por conta de falta de peças apropriadas disponíveis no mercado.

Consequentemente, a falta de manutenção acaba acarretando um aumento no número de acidentes rodoviários e atrasando a entrega das mercadorias aos clientes. Diante disso, muitos acabam encontrando na terceirização uma forma de consertar as máquinas em menos tempo e evitar grandes prejuízos.

Em 2016, de acordo com a Fetropar (Federação dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Estado do Paraná), a idade média dos caminhões das grandes empresas era de 10,2 anos. Já dentre os veículos de caminhoneiros autônomos, esse número é de, em média, 18 anos de fabricação.

3- Roubo de carga

A má condição da frota somada a ineficiente segurança encontrada nas rodovias brasileiras, leva a um dos principais problemas de logísticas: o roubo de carga. Todos os anos, o número de delitos nas estradas aumentam, levando o Brasil a ser um dos 10 países com o maior número desse tipo de ocorrência.

Diante disso, diversas empresas acabam tendo enormes prejuízos quanto a mercadoria perdida, pois, muitas vezes, são responsáveis por reembolsar os clientes pelos danos causados. Ainda, a vida dos motoristas acaba sendo colocada em risco, pois muitos deles acabam sofrendo ferimentos graves durante o assalto.

Apesar de muitas empresas investirem pesado na contratação de escotilha para acompanhar o transporte de mercadorias de alto valor, os funcionários recebem treinamento sobre como lidar com a situação. Incentivar os caminhoneiros a saírem em horários com menor chance de serem vítimas de assunto também é uma prática muito comum hoje.

4- Condições das rodovias brasileiras

Dados da CNT disponíveis no portal Terra revelam que o Brasil concentra hoje 1,7 milhão de km de rodovias em todos os estados. Destas, apenas 210 mil km são asfaltadas e apresentam condições de tráfego seguras aos caminhoneiros. Tal dado revela o quão precária é a situação atual na maioria das estradas do nosso país.

Mas, se engana que o problema se limite apenas a esse fator. Mesmo asfaltadas, muitas rodovias não recebem a manutenção preventiva e acabam tendo buracos na pista, pouca ou nenhuma iluminação e ausência de radares e sinaleiros capazes de garantir a segurança dos motoristas.

5- Carga tributária

Por fim, um grande problema enfrentado pelo transporte rodoviário diz respeito à carga tributária da qual as logísticas são vítimas. O Brasil, inclusive, é um dos países com mais custos relacionados à frete rodoviário (pedágios), chegando a atingir milhões de reais todos os anos.

Com isso, as logísticas acabam sendo obrigadas a traçar estratégias de como evitar o pagamento de tamanhos impostos sem burlar a lei relacionada a distribuição de cargas no país. Assim, é possível aproveitar melhor os incentivos fiscais oferecidos pelo governo, deixando o transporte mais vantajoso.

Leave a reply