Itabaiana é sucesso

0
145

Capital Nacional do Caminhão celebra festa em homenagem aos heróis da estrada.

Texto e fotos: André Brito

Desde a mais tenra idade, quem nasce em Itabaiana, cidade do agreste sergipano, localizada a 58 km da capital Aracaju, tem a forte tendência de gostar do carro pesado e se tornar um ‘herói da estrada’. Quer prova disso? A cidade serrana é a “Capital Nacional do Caminhão”. Não é pouca coisa não! Simplesmente, o município realizou, no período de 4 a 13 de junho, a sua 51ª Festa do Caminhão, evento que conta com espaços para oportunidade de negócios, presença de instituições bancárias, carreatas e shows artísticos. Neste ano, a Festa contou com um investimento estimado em R$ 1,2 milhão para sua realização.

O município apresenta o maior percentual de caminhões por pessoa do País e, por isso, foi contemplado com o título de Capital Nacional do Caminhão. O Projeto de lei, de autoria do senador Eduardo Amorim (PSC/SE), foi aprovado e sancionado pela presidente Dilma Rousseff, no dia 20 de novembro de 2014.  A paixão por esse veículo é vista em todos os cantos. Por exemplo, as casas já são projetadas com garagens para guardar caminhão.

Como Itabaiana tem posição estratégica no que diz respeito ao transporte de cargas para a região Nordeste, esse tipo de serviço é o motor da economia local. Os caminhões movimentam dinheiro para a cidade, geram empregos e têm ajudado a elevar o padrão de vida de toda a população. O setor de comércio e serviços para caminhões também é forte na região, tendo, ao longo da BR-235, grande concentração de lojas de autopeças, oficinas, postos, indústrias e garagens que compram e vendem caminhões usados.

Tradicional

A Festa dos Caminhoneiros é celebrada todos os anos no município. O evento foi idealizado pelo saudoso Antônio Francisco da Cunha, popularmente conhecido por Rolopeu, em 1966, e é considerado o maior festejo em homenagem aos estradeiros no Brasil, recebendo, anualmente, caminhoneiros e turistas de todo País, que vão à cidade conferir uma vasta programação festiva. Em 2008, de simples celebração, o foco se estendeu a uma gigantesca feira de negócios do segmento, tornando-se a Feira do Caminhão. O intuito, além do congraçamento entre turistas e a população local, foi a relação comercial entre expositores, caminhoneiros, frotistas e comerciantes de acessórios.

A abertura oficial aconteceu no dia 04, na Praça Fausto Cardoso, com quermesse religiosa e show do artista sergipano Erivaldo de Carira. No domingo, 05, logo cedo, pequenos admiradores da carga pesada saíram pelas ruas exibindo os caminhões de madeira personalizados, durante a realização da Carreata Mirim, que contou com cerca de 5 mil crianças e adolescentes participando desta edição. Entendeu agora de onde vem a vocação?

Ainda há a escolha da Rainha dos Caminhoneiros, através de um concurso. O evento ocorreu na noite do domingo e contou com a participação de 26 candidatas, sendo 12 concorrentes à Rainha dos Caminhoneiros e 14 à Rainha Mirim. As vencedoras do concurso em 2016 foram: Amanda Góis, 18 anos, e Arianny Santos, 07,  Rainha dos Caminhoneiros e Rainha Mirim.

Entre os dias 10 e 12, aconteceu o ponto culminante de toda a programação que são as apresentações de artistas nacionais e locais e a famosa carreata dos caminhoneiros, realizada no domingo, 12. O evento, que contou com um público estimado em 60 mil pessoas por dia, foi iniciado com uma alvorada festiva e desfile de caminhões. Segundo os organizadores, mais de 2 mil caminhões participaram do ato.

“Eu venho prestigiar essa festa porque é tradicional. Itabaiana é a Capital Nacional do Caminhão, nós somos reconhecidos legalmente como a cidade que tem o maior número de caminhoneiros. Isso, pra mim como itabaianense, é um orgulho”, destacou o radialista Waldson Diniz, presente na Feira do Caminhão.

A convite do prefeito Walmir de Francisquinho (PR), o ministro dos Transportes, Maurício Quintella esteve em Itabaiana para acompanhar a programação nos dias 11 e 12 de junho. Ele participou da Festa e conversou com caminheiros. O ministro se comprometeu a analisar uma pauta de reivindicações que lhe foi entregue durante o evento, dentre as quais, está a duplicação da BR-235, que corta o município. “Sabemos das potencialidades de Itabaiana e da Festa do Caminhão, mas é impressionante ver de perto a grandiosidade do evento”, afirma Quintella.

As festividades se encerraram, no dia 13, com um cortejo religioso em homenagem a Santo Antônio, padroeiro do município. Além de reunir fiéis em reafirmação à fé, a procissão conta com a presença maciça do povo itabaianense, autoridades políticas locais e estaduais.

A Feira

Ao som da Orquestra Sinfônica da Filarmônica Nossa Senhora da Conceição, a mais antiga do Brasil, foi desfeito, na quinta-feira, dia 9, o laço inaugural e foram abertos os 24 estandes dos expositores na Praça de Eventos.

Segundo o balanço da Secretaria Municipal de Indústria, Comércio e Serviços, o volume de vendas chegou a cerca de R$ 16 milhões. Neste ano, o evento recebeu mais de 5 mil visitantes durante os quatros dias.

A Feira contou com a presença de empresas nacionais e internacionais do setor de transporte de carga como Iveco, Volare, MAN, Mercedes-Benz, Lifan, Toyota, Honda, Sest/Senat, Polícia Rodoviária Federal, Caixa Econômica Federal, JS Peças, Baterias Moura, Baterias Heliar, Michellin, Encerados Locomotiva, Shopping Peixoto, Jeep Club de Sergipe, grupo Coringa, Yázigi, IOSE, Sindicam, Shopping Peixoto e Louco de Pedra e Revista.

O presidente da União Nacional dos Caminhoneiros (Unicam), José Araújo China da Silva, garantiu que levará a divulgação do evento por onde for.  “É uma cidade produtiva, uma cidade que tem muita indústria, um comércio muito grande. Enquanto eu for vivo, virei todos os anos”, assegurou China.

Por sua vez, José da Fonseca Lopes, presidente da Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam), destacou o sucesso da festividade em meio a um período difícil em que a crise financeira dificulta o trabalho dos gestores. Ele ainda ressaltou os esforços do município para reverenciar os profissionais que levam a carga pesada Brasil afora.

Na opinião de Almeida Santos, da Volkswagen e MAN Latin America, a importância da Feira é imensa pra gente. “Eu participo pela 16ª vez, pois, mesmo com a dificuldade que estamos enfrentando e o mercado onde está todo mundo sofrendo, as vendas acontecem. Todos os expositores que nós visitamos fecharam negócios, então vale a pena expor em Itabaiana”, afirma Santos.

Satisfeito por manter a tradição, o prefeito Valmir de Francisquinho falou das dificuldades enfrentadas e destacou os esforços da administração municipal para conseguir driblar a crise. “Nós fizemos o máximo de esforço que pudemos. Mas, com a parceria dos expositores que estão aqui, a gente fica extremamente feliz e grato por eles acreditarem em uma das poucas festas que ainda estão sobrevivendo no País. Nós não podemos deixar morrer essa riqueza multissetorial, que é importante para alavancar a economia do município de Itabaiana e elevar o seu nome além-fronteiras. Então fizemos todo o esforço para homenagear este homem trabalhador e guerreiro que é o caminhoneiro de Itabaiana, que tanto nos orgulha”, afirma Francisquinho.

Fique por dentro de todas as novidades da Revista Caminhoneiro!


Leave a reply

Mais notícias