Entenda o que é e a importância do ARLA 32 em um caminhão

0
2966
arla-32

No ano de 2012, o ARLA 32, bem como o sistema SCR, passaram a ser obrigatórios em todos os veículos pesados fabricados no Brasil desde então. O maior objetivo dessa medida é reduzir poluentes e oferecer aos caminhões um sistema de transporte mais correto e sustentável.

Apesar de importante e obrigatório, a última Pesquisa CNT de Perfil dos Caminhoneiros, realizada em 2018, revelou um cenário negativo e que ainda precisa ser melhorado no Brasil.

Dos motoristas que possuem caminhões fabricados a partir de 2012, apenas 65,6% deles afirmaram que utilizam sempre o ARLA 32. Os principais motivos da não utilização do composto é que ele “não muda o desempenho do caminhão” e que “não é preciso [utilizá-lo]”.

Esses motivos revelam o desconhecimento de muitos caminhoneiros a respeito do tema. Por isso, resolvemos pontuar algumas dúvidas e esclarecer o que é ARLA 32 e porque ele é importante.

O que é ARLA 32?

O nome ARLA é uma abreviação de Agente Redutor Líquido de óxidos de nitrogênio Automotivo. Já o número 32 está relacionado com o índice de concentração de ureia presente na solução desse material com água desmineralizada.

Para resumir, o ARLA 32 nada mais é do que uma solução com 32,5% de ureia e 67,5% de água. O objetivo dessa mistura é reduzir a poluição que um caminhão pode causar em até cinco vezes.

Como funciona e quais as vantagens do ARLA 32?

O funcionamento do ARLA 32 é bem simples. A ureia, utilizada na ARLA 32, é responsável por realizar o processo químico capaz de transformar o óxido de nitrogênio em nitrogênio e água. Mas porque esse procedimento químico é importante para um caminhão?

O óxido de nitrogênio, também presente na chuva ácida, tende a contribuir na degradação da camada de ozônio e podem ser prejudiciais para a saúde humana, causando diversos problemas na respiração e, em alguns casos, nos pulmões do motorista de caminhão.

Nesse sentido, o combustível ARLA 32 possui grande importância. Isso porque, essa substância é capaz de reduzir em até 98% as emissões do óxido de nitrogênio, tão perigoso e nocivo para o meio ambiente.

Vale ressaltar que, além de fazer bem para a saúde do motorista e para o meio ambiente, o ARLA 32 pode representar uma economia de combustível para o caminhoneiro, o que, consequentemente, deve gerar menos custos ao longo de seu mês.

Combustível ARLA 32: como utilizá-lo em seu caminhão?

Muitos caminhoneiros não sabem quanto utilizar de ARLA 32 e, por isso, evitam colocá-lo. A verdade é que, como a quantidade necessária é muito pequena, o custo-benefício se torna extremamente positivo para o motorista.

No geral, são necessários apenas 5% de ARLA no volume de diesel colocado no caminhão. Dessa forma, caso coloque 20 litros de combustível, será necessário apenas 1 do composto de ureia e água.

Onde colocar o ARLA 32?

Os caminhões equipados com o sistema SCR possuem um reservatório especial ao lado do local em que está o tanque de combustível do veículo. Esse é o espaço indicado para a colocação do ARLA 32.

Ainda nessa dúvida, é importante ressaltar que esse procedimento só pode ser realizado em caminhões com o sistema SCR. Ou seja, é totalmente contraindicado colocar o ARLA 32 diretamente no tanque de combustível, junto ao diesel.

É possível misturar ureia com água para produzir o ARLA 32?

Não! A ureia, utilizada no processo do combustível ARLA 32, é mais pura do que a normal e não pode ser produzida de forma artesanal. Além disso, essa tentativa pode acabar sendo prejudicial para o caminhão, que terá sua vida útil diminuída.

Onde comprar a ARLA 32?

Onde comprar o ARLA 32 é outra dúvida muito comum entre os caminhoneiros. Apesar disso, essa substância está cada vez mais comum no mercado. Dessa forma, você pode encontrá-lo não só nas lojas especializadas, mas também em alguns postos e outros locais especializados em caminhões.

E aí, você conhecia todos os benefícios do ARLA 32? Sabia que ele pode ser muito positivo para o seu caminhão? Comente e sugira outras pautas e assuntos em nossas redes sociais.

Leave a reply

Mais notícias