CDC da Volvo – Emoções à flor da pele

0
370
Premiação

 O CDC da Volvo foi palco da etapa latino-americana do Vista, que determinou os nomes das equipes finalistas dessa importante competição.

A Volvo abriu as portas do seu Centro de Desenvolvimento de Competências  (CDC), localizado em Curitiba, PR, que treina profissionais da rede de concessionárias, para sediar a etapa latino-americana do Vista (Volvo International Service Training Award), competição mundial entre técnicos e profissionais de pós-venda da montadora.

Depois de uma bateria de provas e muita emoção, as equipes vencedoras foram a “VTT”, da Dipesul, “Suicide Squad”, da Auto Sueco, SP, “TEC-Invista”, da Concessionária Suécia, “Suécia Próxima Parada”, do Peru e “La Celeste” do Uruguai.

A disputa foi acirrada. O conhecimento, experiência e controle emocional são fundamentais nesse tipo de competição. Ao todo participaram da semifinal 29 equipes, sendo 15 do Brasil e 14 de outros nove países da América Latina. Antes das provas práticas, eles passaram por três etapas teóricas, realizadas entre setembro de 2015 e fevereiro de 2016.

Segundo Carlos Pacheco, diretor de Desenvolvimento de Concessionárias do grupo Volvo América Latina, o Vista é uma parte importante de nosso esforço para atingir a mais alta qualidade em serviços em todos os mercados onde estamos presentes.

“Estamos muito felizes. Emocionados. Nossa meta era chegar em Curitiba, e quando chegamos aqui, nossa meta era estar na final”, comemora Antônio Cirino, da equipe TEC-Invista, da concessionária Suécia.  De acordo com ele, com a competição, o conhecimento que possuem vai sendo aprimorado e agiliza o atendimento aos clientes.

Durante as provas práticas, as equipes tinham 30 minutos para encontrar e solucionar os problemas que são comuns no dia a dia de trabalho na concessionária.

“A competição motiva os técnicos a serem cada vez melhores. Faz com que eles se preparem mais e possam atender os clientes de modo rápido e melhor”, destaca Luis Figueroa, da Volvo Peru. “É uma emoção grande, pois nos preparamos bastante. Estamos muito contentes de representar o nosso país. Vamos brigar para ganhar a final”.

Para se ter uma ideia, o Vista tem como foco principal promover a qualificação, o trabalho em equipe e o reconhecimento dos técnicos e funcionários das áreas de peças de reposição, garantia e administrativa, além de aprimorar a capacidade dos profissionais que atuam no setor. A meta final da competição é contribuir para o sucesso do cliente, para ter profissionais altamente qualificados e atualizados em caminhões e ônibus Volvo.

“É preciso sempre seguir o passo a passo e saber que fazemos um trabalho de equipe. Nós já temos um alto nível de competência na área de serviços, mas o Vista é uma importante ferramenta para promovermos o desenvolvimento contínuo”, declara Karen Wasman, gerente do CDC do Grupo Volvo América Latina.

Neste ano, o Vista tem o lema “Sem atalhos para o sucesso”, uma referência direta à importância da qualidade e do planejamento do trabalho que é executado diariamente nas concessionárias da marca.

“Os participantes competem, ganham conhecimento, adquirem novas habilidades e se tornam mais ágeis e precisos no trabalho na oficina. O resultado é um serviço de excelência e maior disponibilidade para os veículos”, afirma Letícia Watanabe, responsável pelo evento na América Latina.

Nesta edição, a América Latina teve três mil inscrições, sendo 85% dos participantes do Brasil, 15% do Peru e 5% de outros países.  O Brasil é o país com o maior número de participantes, com 2.237, seguido pela Rússia, com 1.393 para participantes.

No total, considerando todas as etapas, foram 18,5 mil profissionais, distribuídos em cinco mil equipes de 100 países de todos os continentes, um número recorde desde que o evento foi criado. O Vista começou em 1957 como uma competição nacional na Suécia, sede do Grupo Volvo. Em 1977, tornou-se uma maratona global. A maior parte dos participantes (65%) é formada por técnicos. Os demais 35% são das áreas comercial, administrativa e de peças. Na edição passada, a equipe finlandesa ficou em primeiro lugar. Quando os vencedores mundiais forem anunciados, a maratona terá consumido cerca de 700 mil horas de treinamento em todo o mundo. 

Centro de capacitação

Usando a metodologia “Train the Trainer” (Treinar o Instrutor), o CDC continuamente desenvolve os profissionais da rede responsáveis pela replicação do conhecimento entre os técnicos e outros funcionários da área comercial, aumentando sensivelmente o alcance e a qualidade do treinamento. “O objetivo é apoiar o negócio da Volvo por meio da qualificação de pessoas. Não estamos satisfeitos apenas em oferecer uma grade de treinamentos. Queremos antecipar necessidades de aprendizagem e estar mais próximos dos transportadores de cargas e de passageiros”, declara Karen Wasman, gerente do CDC de caminhões e ônibus.

Instalado em um prédio de 2,6 mil metros quadrados dentro de um terreno de 10 mil m², o CDC tem salas para treinamentos teóricos e práticos, espaços exclusivos para capacitação em simuladores e garagens para aulas práticas e para exposição de veículos. Sete das salas são para treinamento específico em chassis, eletricidade, transmissão e motor. São ministrados desde cursos básicos de mecânica até outros mais sofisticados, como o de diagnóstico avançado de falhas, no qual os alunos têm contato com um caminhão ou chassi de ônibus que sai da fábrica já com falhas estrategicamente criadas.

O modelo de capacitação baseado no conceito “Train the Trainer” e na avançada infraestrutura do CDC brasileiro proporciona um trabalho de excelência nesta área, totalmente vinculado ao negócio de transportes. Além de disseminar o conhecimento nas matrizes e filiais da rede de concessionárias, garantindo maior agilidade no desenvolvimento dos instrutores, o sistema permite ainda mais proximidade com a rede e os clientes. “Os instrutores não só transmitem conhecimento sobre novos produtos e serviços, mas também se certificam de que seja aplicado o melhor aprendizado nas concessionárias”, observa Karen.

Nesta metodologia, é possível monitorar os indicadores de performance e as saídas dos técnicos, contribuir com a gestão das pessoas e até avaliar a produtividade das oficinas. “O cliente é beneficiado diretamente: ele ganha não só com a inovação tecnológica e educacional das equipes de profissionais que atuam nas concessionárias, mas também no aumento da disponibilidade dos veículos e na rentabilidade da operação de transporte”, diz a gerente.

Os técnicos recebem uma formação completa, com uma carga horária de cerca de 420 horas, tempo correspondente a uma verdadeira especialização. Os cursos de atualização anual envolvem mais 120 horas de treinamento para cada profissional. São oferecidas também capacitações nas áreas comercial (Venda e Pós-venda), de gestão (Liderança, Atendimento, Imagem de Marca, RH) e condução (com foco em Segurança e Economia de Combustível).

Fique por dentro de todas as novidades da Revista Caminhoneiro!


Leave a reply