Nada será como antes

0
432

foto1

 

O Salão mostrou os caminhões digitais, com amplo banco de dados, conectados, sem emitir poluição, silenciosos e movidos à energia elétrica. Ideais para circularem em centros urbanos.

Salão de Veículos Comerciais de Hannover (IAA Commercial Vehicles) acontece a cada dois anos na cidade de Hannover, Alemanha. Este ano, em sua 66ª edição, foi realizado  entre os dias 22 e 29 de setembro e os visitantes puderam conferir as novas tendências do setor automotivo. Os destaques foram os veículos conceitos, que cada vez mais, estão em harmonia com a natureza e os veículos elétricos, adotados para o transporte de mercadorias. Eles são silenciosos, interconectados e não emitem fumaça.
A Daimler teve como foco os centros urbanos e apresentou os veículos elétricos e com conectividade como o Urban eTruck da Mercedes-Benz, primeiro caminhão pesado totalmente elétrico para distribuição urbana; o Future Bus, ônibus urbano de condução autônoma do futuro e a Vision Van, veículo comercial leve para o espaço urbano. Segundo o Dr Wolfgang Bernhard, CEO do Grupo Daimler, os veículos comerciais alimentados por baterias devem ser adotados com mais intensidade na logística urbana, onde sistemas de propulsão elétricos e híbridos são necessários para atender metas de emissão de CO2 e redução de ruídos cada vez mais exigida, sobretudo nas cidades da Europa e América do Norte. O Urban eTruck é totalmente movido à eletricidade, circula sem emissão de poluentes e de forma quase inaudível. O caminhão de três eixos sem reboque caracteriza-se por ser um transporte de distribuição altamente eficiente e limpo. Um conceito inovador garante a propulsão do modelo através de motores elétricos junto aos cubos de rodas e a energia é fornecida por um sistema modular de bateria, que pode proporcionar até 200km de autonomia.

 

 

foto6

 

O Urban eTruck não fica atrás de seus colegas com motor de combustão interna. Seu peso extra é de cerca de 1700kg. Uma vez que a Comissão Europeia é a favor de um aumento máximo de 1t no peso bruto total, permitido para caminhões com sistemas de propulsão alternativos, a desvantagem no peso da motorização elétrica é em grande medida compensada. Para o Urban eTruck, os desenvolvedores tomaram do eixo de piso baixo original os módulos de propulsão, com um motor trifásico assíncrono de alta rotação refrigerado a fluido em cada lado. A tensão nominal é de 400V, a potência máxima é 2 x 125kW. Os motores alcançam um torque máximo de 2 x 500Nm. Em conjugação com a desmultiplicação, o torque na roda atinge 11.000Nm. O Urban eTruck pode carregar até 26t de carga útil e está equipado com o serviço de telemática FleetBoard for urban distribution, baseado na conectividade inteligente. Outro destaque da marca foi o Mercedes-Benz Future Bus com City Pilot, o ônibus do futuro que já circula de forma experimental em uma BRT da cidade de Amsterdan, Holanda. O CityPilot consegue reconhecer semáforos e comunicar com eles, passando com segurança em cruzamentos com sinalização luminosa.

Ele também consegue identificar obstáculos e pedestres na pista de rolamento e freia autonomamente, ou seja, sem interferência do motorista. Além disso, se dirige automaticamente aos pontos de parada, abre e fecha as portas e também atravessa túneis. Dentro do conceito de modernidade, a companhia mostrou o Mercedes-Benz Vision Van, um estudo de transporte revolucionário para uso nos centros urbanos, totalmente conectado, automatizado e movido à eletricidade. O veículo possui total interconectividade de informações e tecnologias, possibilitando movimentar pequenas cargas em seu interior de forma automatizada. Outra novidade é que o MB Vision Van pode entregar encomendas de forma autônoma em um raio de 10km, diretamente ao destinatário, por intermédio de uso de drones.

Aproveitando o seu FleetBoard, a Mercedes-Benz elaborou um importante banco de dados, graças ao fato de que 180 mil veículos de seis mil clientes em 40 países são usuários do sistema. Segundo Stefan Buchner, chefe Mundial da Divisão de Caminhões Mercedes-Benz, o banco de dados possibilita oferecer muitos serviços inteligentes aos clientes. “Iniciamos há três anos um projeto piloto com 16 frotistas que rodam com 1,4 mil caminhões, para testar novas soluções como apoio do fabricante em tempo real, antecipação de problemas com agendamento on line de serviços nas oficinas autorizadas, reduzindo assim o tempo para eventuais reparos. Por isso, é importante saber interpretar todas essas informações, oferecendo serviços que atendam as reais necessidades do cliente naquele momento”, explicou Stefan Buchner.

Segundo a Daimler Trucks, até 2018 deve ser lançado seus primeiros veículos totalmente elétricos, um ônibus, uma van Sprinter e um caminhão leve da marca japonesa Fuso, também pertencente ao grupo Daimler. A estimativa é que o Fuso eCanter deva começar a ser vendido na Europa, Japão e América do Norte a partir do fim de 2017, com autonomia de até 100 km, mas o conjunto de baterias poderá ser configurado de acordo com a necessidade do cliente.

foto7

 

VOLKSWAGEN

Andreas Renscheler, CEO da Volkswagen Caminhão e Ônibus e membro do Conselho de Administração da AG Volkswagen, responsável por veículos comerciais, disse no IAA que a aliança estratégica do grupo, a qual incluiu a compra de 16,6% da Navistar, foi um grande negócio para fortalecer o Grupo. A inclusão de caminhões International extrapesados no portfólio é um passo para a entrada do Grupo Volkswagen no mercado norte-americano. Entre os veículos apresentados estiveram os novos MAN, um Scania, um Volkswagen Constellation Prime Edition, com motor de 450cv e um International com cabine convencional, fazendo lembrar os pesados que circulam na América do Norte. Outro lançamento apresentado foi a RIO, uma plataforma para todos os sistemas para facilitar todos os envolvidos no processo de transporte, onde as informações ficam armazenadas em nuvem.

É a solução multimarcas para conectar veículos e serviços, disse o executivo. A Volkswagen Caminhões e Ônibus ressaltou o “Get connected”. Dirigir o transporte para o próximo nível. Ela mostrou um grande número de tecnologias, destinada a reforçar a sustentabilidade no setor de transporte de pessoas e bens. Andreas Renschler, enfatizou que este é um momento especial para a empresa, mas também para ele pessoalmente, por ser capaz de apresentar a força inovadora das marcas aqui em Hannover. “Nosso objetivo é tornar-se campeão mundial na indústria durante a próxima década. E a próxima década vai mudar o mundo de veículos comerciais mais do que os últimos cinquenta anos.

 

foto6

A razão para isto é a digitalização,” prevê Renschler. No futuro, as marcas operadas pela Volkswagen Caminhão e Ônibus estarão oferecendo aos clientes uma amcidade pela seleção de veículos elétricos. “Mas o motor diesel tem ainda um longo caminho a percorrer”, falou. “No caso de transporte de longa distância ou em canteiros, o motor diesel continuará a desempenhar um papel significativo por algum tempo ainda,” disse Andreas Renschler, acrescentando que as unidades puramente elétricas obviamente têm seu lugar na estratégia de desenvolvimento, assim como as células de combustível, unidades híbridas, biodiesel e gás. “Nós não podemos ditar aos clientes o que eles devem usar, mas estaremos oferecendo a eles exatamente a solução que é ideal para sua finalidade e também gera uma vantagem comercial,” afirma Renschler.

Durante o IAA, a MAN Latin America, responsável pela Volkswagen Caminhões e Ônibus na recém-criada holding Volkswagen Truck & Bus, apresentou seu plano de internacionalização que conta com a conquista de mais de 460 veículos adicionais, vendidos aos principais destinos de exportação da empresa. As unidades desse lote, entre caminhões e ônibus VW, embarcarão até o fim deste ano para Argentina, Bolívia e Chile.

 

foto 4

O transporte de bebidas é destaque no Chile, onde a empresa negociou a venda de 102 veículos à CCU (Compañía Cervecerías Unidas) e seus operadores. Os modelos são Delivery 10.160 e Constellation 17.280 e 24.280. A empresa também comercializou 70 Volksbus 9.160 para operar no transporte urbano e de fretamento chileno. Para a Argentina serão 140 ônibus urbanos Volksbus 18.280 OT LE, com suspensão pneumática integral, que atuarão no transporte urbano de Buenos Aires e região. A Bolívia registra importante marco e deve encerrar 2016 com o maior volume de vendas de sua história, superando 350 unidades.

O resultado se deve, em grande parte, à negociação de 150 caminhões VW Worker modelos de 9, 10 e 15 toneladas, que embarcarão para o transporte de bebidas. O México também tem destaque com crescimento acumulado de 20% neste ano em comparação com 2015. “A recuperação nas exportações brasileiras tem potencial para, pelo menos, chegar a 5%. De acordo com a mudança atual nas economias vizinhas, não seria exagero pensarmos em números de até dois dígitos ao ano,” disse Roberto Cortes, presidente e CEO da MAN Latin America. No IAA, entre os destaques, estiveram expostos o Worker 17.230 6×2/4 Distributor.

 

foto9

O caminhão adota solução derivada de um modelo 17t na versão 4×2 com a instalação de um segundo eixo direcional de fábrica, com todas as garantias da montadora. Com capacidade para carregar até 630 quilos a mais. Conforme a empresa, no custo operacional pode gerar economia de 5%. Desenvolvido numa parceria com a BMB e a Randon, seu implemento é fabricado em alumínio para diminuir o peso total do veículo e a nova configuração dos eixos abre mais espaço rebaixado na carroceria, facilitando a operação de carga e descarga, além de diminuir a quantidade de pneus demandados, são dois a menos. Ideal para aplicações mistas de entregas diárias urbanas e intermunicipais, o Worker 17.230 Distributor pode transportar até 13.060 quilos de carga líquida, o equivalente a cerca de 390 caixas de bebidas.

O modelo é equipado com o motor MAN D08. O Constellation 30.330 no mercado brasileiro está equipado com transmissão automatizada V-Tronic e o segundo eixo direcional 8×2 de fábrica. Conforme a fabricante, o modelo oferece potência e torque, em média, 15% superiores aos principais concorrentes, com um peso bruto total (PBT) de 29t. O segundo eixo direcional presente nesse Constellation permite transportar até seis toneladas a mais do que em sua versão 6×2.

O veículo é equipado com motor Cummins ISL de 334 cv e torque máximo de 1.450Nm. O modelo pode operar como frigorífico, furgão, tanque, basculante, graneleiro e sider. Considerada uma tendência de mercado, a versão 8×2 para o chassi rígido VW Constellation 30.330 V-Tronic passa a ter seis toneladas a mais que seu equivalente 6×2. Os veículos de 17t e de 24t têm à sua disposição o sistema de suspensão a ar, com benefícios à estabilidade, dirigibilidade e distribuição de carga. O sistema é mais uma parceria com a BMB, centro de customização exclusivo da MAN Latin America.

MECATRÔNICOS

“Ver, Pensar e Agir”, o tema da ZF no IAA deste ano expressa claramente a estratégia do Grupo ZF. Para ampliar suas competências em matéria de sensores, unidades de controle eletrônico e sistemas mecatrônicos, a compra da companhia americana TRW, concluída em 2015, foi um marco essencial, que tem continuidade com uma série de investimentos em participações e outras aquisições. A companhia comprou cotas da Ibeo, especialista na tecnologia Lidar, e da empresa de software doubleSlash, além de estar empenhada na aquisição da Haldex, fornecedora sueca especializada em freios para veículos comerciais. “Gostaríamos de concretizar esta aquisição, o que também acreditamos que seja o desejo da Haldex”, disse o CEO da ZF, Dr. Stefan Sommer, durante a coletiva de imprensa da empresa, na presença do CEO da Haldex, Bo Annvik. Além disso, a ZF continua promovendo a eletrificação do driveline de veículos comerciais. A tecnologia pronta para aplicação seriada em modelos híbridos ou puramente elétricos cobre todas as áreas de aplicação e requisitos do mercado.

“Com os nossos produtos, atendemos às grandes tendências de automatização, integração, segurança e eletrificação”, afirma Sommer. “O foco das nossas inovações está nos sistemas mecatrônicos inteligentes que fornecemos por completo e que contribuem consideravelmente para a mobilidade sem emissão de poluentes e sem acidentes”, completa. A ZF resume seu objetivo de tornar-se sistemista líder em tecnologias do futuro com os três elementos “ver, pensar e agir”.

 

foto2

“Com a nossa orientação tecnológica, podemos abranger todos os principais aspectos da condução autônoma e fazer com que os veículos tenham características humanas, esse é o nosso grande diferencial”, explica Sommer. Tudo isso é concretizado no Innovation Truck 2016, o destaque da ZF no IAA. No protótipo, todas as tecnologias aplicadas com sucesso em carros de passeio foram transferidas para os caminhões pesados. Graças à integração de sensores, o Innovation Truck obtém uma visão tridimensional e confiável de seu ambiente, processa esses dados em seu “cérebro eletrônico de alto desempenho” e realiza os comandos por meio de sofisticados programas mecatrônicos, incluindo os sistemas de driveline eletrificado e de direção. Uma das três funções de assistência é o programa de manobras evasivas Evasive Maneuver Assist (EMA), um projeto que a ZF desenvolveu em parceria com a Wabco, que conduz semirreboques em pontos de risco de forma automatizada e com estabilidade, ajudando a evitar colisões.

O sistema de direção assistida em rodovias Highway Driving Assist (HDA) mantém o Innovation Truck ativamente na faixa de rodagem e conserva a distância adequada de segurança do veículo à frente.

O terceiro recurso do Innovation Truck demonstra suas vantagens no terminal de carga e descarga. O SafeRange, função que estaciona sozinha o caminhão na doca desejada, evita acidentes na manobra e minimiza os tempos de parada do veículo. A ZF anunciou a estruturação de um centro de tecnologia na Índia. A partir de 2020, uma equipe de 2.500 engenheiros de Hyderabad fortalecerá a rede global de engenharia do Grupo ZF. Um de seus focos será o desenvolvimento de software para tornar as unidades de controle eletrônico dos veículos ainda mais inteligentes. Assumindo uma participação de 40%, a ZF investe na empresa de software DoubleSlash. A nova parceira que já é fornecedora estratégica da ZF reforçará suas competências no campo da integração de veículos. Em agosto, a ZF também adquiriu uma participação de 40% na Ibeo, especialista em sensores. Junto com a ZF, a líder de mercado na tecnologia Lidar e software para reconhecimento do ambiente desenvolverá uma nova geração de sensores Lidar para dar ainda mais características humanas aos veículos. A visão de um mundo em movimento sem acidentes e sem emissão de poluentes (programa conhecido como “Vision Zero”) também demanda soluções que aumentam a eficiência no consumo de combustível ou até mesmo substituem os motores de combustão por conceitos de geração de energia elétrica. No início do ano, a ZF criou uma divisão especialmente para agrupar suas atividades na área de eletromobilidade. Segundo as avaliações atuais, o mercado de veículos híbridos ou totalmente elétricos deverá crescer sete a dez vezes até 2025.

foto8

 

“Faremos parte desse crescimento e definiremos o mercado com as nossas inigualáveis competências no campo da integração de chassis, driveline e sistemas eletrônicos”, comenta Sommer. No segmento de veículos comerciais, a empresa está perfeitamente preparada para essa evolução, com uma linha completa de produtos que inclui soluções para acionamentos híbridos ou puramente elétricos para ônibus urbanos e rodoviários, além de caminhões leves e pesados.

A ZF anunciou durante o IAA 2016, em Hannover, Alemanha, a nacionalização das modernas transmissões automatizadas TraXon e 9AS EcoTronic. A TraXon que já equipa vários modelos na Europa, está presente também no futurista ZF Innovation Truck 2016, apresentado durante o evento. A 9AS EcoTronic foi desenvolvida sob medida para oferecer alta eficiência aos caminhões médios e semipesados, e irá complementar o portfólio que já contava com a transmissão mecânica de nove velocidades da marca, a Ecomid. Ambas serão produzidas na planta da ZF, em Sorocaba, SP.

“As transmissões serão nacionalizadas por terem um grande potencial de mercado para os próximos anos. Além disso, a ZF tem confiança na recuperação do mercado brasileiro, mesmo que provavelmente de maneira gradual. A motivação para esta nacionalização veio do sucesso de participação das transmissões automatizadas no segmento de pesados e extrapesados, aliada à crescente demanda dos clientes para a extensão desta solução a outros segmentos”, comenta Wilson Bricio, presidente da ZF América do Sul.

“A capacidade instalada de toda cadeia automotiva é bem superior à realidade do mercado nacional. Na ZF, a situação não é diferente, e por isso, grande parte dos investimentos foram voltados a alterações nas linhas produtivas existentes, que são altamente adaptáveis ao recebimento de produtos com um conteúdo tecnológico maior, como a TraXon e a 9AS EcoTronic”, complementa Wilson Bricio. 

A outra transmissão a ser nacionalizada nacionalizada é a automatizada EcoTronic, que consumirá um investimento adicional de até 5 milhões de reais, por utilizar basicamente a mesma linha flexível da sua versão manual de nove marchas. A tendência de aplicações de transmissões automáticas e automatizadas em caminhões pesados, médios e leves já é bem evidente na Europa. As pesquisas revelam que nos países emergentes esse movimento vem ganhando mais força e conquistará uma fatia expressiva nas vendas nas próximas décadas.

foto5

 

OUTRAS NOVIDADES

A Iveco apresentou entre seus veículos, a van elétrica, um veículo “zero emissões”, ideal para entregas no centro e serviço de transporte de passageiros. Outro destaque foi o caminhão extrapesado conceitual, chamado Z Truck. Com perfil muito aerodinâmico e linhas futuristas, o Iveco Z Truck tem cabine elevada e com grande área envidraçada. No lugar do volante, um manche. Ao lado do posto do motorista, há um sofá. Toda a instrumentação é digital.

A DAF Trucks exibiu a sua gama completa de produtos e serviços líderes na indústria para comprovar as soluções de transporte mais completas e eficientes com o maior retorno por quilômetro. O novo sistema de gestão de frotas DAF Connect otimiza o desempenho das frotas e dos condutores e melhora a eficiência logística da operação. As inovações nos eficientes motores Paccar PX-5 e PX-7, presentes nos populares caminhões de distribuição LF e CF, apresentam a máxima eficiência. A principal atração da Volvo em Hannover foi o The Iron Knight, um verdadeiro supercaminhão desenvolvido para quebrar o recorde mundial velocidade de 276km/h, entre os modelos pesados.

Ele tem motor central-traseiro turbodiesel de seis cilindros e 12.8 litros de capacidade, feito com base nos propulsores que equipam a linha FH da marca sueca. Modificações como um intercooler mais eficiente, quatro turbocompressores, reprogramação de software e materiais leves para reduzir o peso do bloco garantiram uma ficha técnica para ninguém colocar defeito. São 2.433cv de potência e 611,8kgfm de torque máximo.

O sistema trabalha em conjunto com uma transmissão automatizada de dupla embreagem de 16 marchas, 12 à frente e quatro a ré, que foi reforçada para aguentar a enorme quantidade de torque extra. O resultado é que ele é capaz de partir do zero e andar um quilômetro de distância em apenas 21,29 segundos.

A Renault mostrou os modelos voltados aos segmentos de longa distância, construção, distribuição e competição que foram os destaques da marca francesa no salão alemão. A Scania apresentou no Salão Internacional do Transporte (IAA) a sua nova linha de caminhões, cuja estreia mundial ocorreu em agosto, em Paris. Ela também conquistou o prêmio International Truck of the Year 2017.

 

Texto: Graziela Potenza

Arte: Júlio Kniss

Fotos: divulgação / Graziela Potenza

A jornalista Graziela Potenza visitou o IAA a convite da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores. (Anfavea).

Leave a reply