Revista Caminhoneiro Cartas na mesa
Sábado, 29 Novembro 2014

noticias / novidades / cartas na mesa


Cartas na mesa

publicado em: 01/10/2013

Nesta grande amostra serão exibidos o que as empresas possuem de mais moderno para conquistar o mercado e o consumidor final.

Na 19ª Fenatran - Salão Internacional do Transporte, que acontece de 28 de outubro a 01 de novembro, no Anhembi, SP, os expositores mostrarão as suas principais novidades para conquistar o mercado e a preferência do consumidor final. Este ano, o tema central será o "Transporte na rota da sustentabilidade".

A Fenatran é um evento referência na área de produtos e serviços destinados aos transportadores, operadores logísticos e caminhoneiros. Com mais de 35 anos de tradição, promove a realização de negócios e a exposição estática e dinâmica de lançamentos globais para milhares de profissionais do setor interessados em conhecer as tendências do segmento.
Simultaneamente à exposição, acontece no sambódromo do Anhembi, a Fenatran Experience onde os principais fabricantes de caminhões colocarão seus produtos à toda prova nas mãos dos caminhoneiros e empresários do setor.

A Fenatran é uma iniciativa da Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC&Logística) em parceria com a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). O evento conta com o apoio institucional da Associação Brasileira do Segmento de Reforma de Pneus (ABR), da Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviários (Anfir), do Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores (Sindipeças) e do Sindicato Interestadual da Indústria de Materiais e Equipamentos Ferroviários e Rodoviários (Simefre).

Ford

Depois de apresentar sua linha de extrapesados, a Ford apresentará na 19ª Fenatran sua nova linha de caminhões leves e a pré-estreia da Transit Furgão Global. Os visitantes poderão ver os novos modelos Cargo 816 e Cargo 1119 e a nova Transit Furgão, veículo global que deve chegar ao mercado brasileiro no próximo ano. Além disso, os recém lançados extrapesados Cargo 2842 e Cargo 2042.

A Ford exibe ainda um Cargo 2429 na configuração 8x2, com eixo dianteiro direcional extra, transformado por implementador e capacidade para 29 toneladas. A Ford Caminhões anunciou que linha Cargo 2014 passa a ter motorização preparada para operar com o diesel B20 (adição de 20% de biodiesel).

"A Ford continua investindo forte em todos os segmentos em suas operações de Caminhões, desde os leves até os extrapesados. Também mostra ao público pela primeira vez a Transit 2014, ainda mais moderna", afirma Guy Rodriguez, diretor de Operações de Caminhões da Ford.
O Novo Cargo 1119 inaugura um segmento de mercado, oferecendo maior capacidade de carga e potência para aplicações urbanas e rodoviárias de curta distância. Posicionado numa faixa intermediária entre os modelos de 8 e 13 toneladas, o novo caminhão tem como ponto forte o peso bruto total de 10.510 kg.

Equipado com motor Cummins ISB 4.5 de quatro cilindros, com potência de 189 cv (a 2.300 rpm) e torque de 600 Nm (a 1.500 rpm), é indicado para uso como baú isotérmico, baú frigorífico, carga seca, guincho plataforma e bebidas, entre outros. A sua transmissão Eaton de 5 marchas mais ré tem relações desenvolvidas especialmente para otimizar o torque e o desempenho.

Um dos modelos mais vendidos no segmento de leves, o Cargo 816 traz cabine renovada. Suas mudanças incluem grade em formato hexagonal, novos para-lamas, faróis e para-choque dianteiro recuado, que favorece as manobras.

O interior ganhou novo volante, de ótima empunhadura, e painel com iluminação na cor azul Ice Blue adotada globalmente pela Ford, com excelente visibilidade em qualquer condição de luz. O banco com suspensão a ar permite múltiplas regulagens e as portas têm laterais revestidas em tecido. Vidros elétricos são um dos itens de série.

O caminhão é equipado com motor Cummins ISB 4.5, com potência de 162 cv (a 2.300 rpm) e torque de 550 Nm (a 1.500 rpm), e transmissão Eaton de cinco marchas mais uma à ré. Ele tem peso bruto total de 8.250 kg.

A nova geração global da Transit faz sua pré-estreia na Fenatran com a exibição da versão Furgão. A Transit é líder de vendas na Europa e será lançada também nos Estados Unidos, como um produto verdadeiramente global.

Além de design moderno e eficiente, ela avança ainda mais no desempenho e economia, com nova motorização e itens de tecnologia que aprimoram a sua segurança e versatilidade para o transporte de uma grande variedade de cargas.

A grande novidade da Ford será sua linha de caminhões extrapesados, que chegaram ao mercado em agosto desse ano. Projeto global, desenvolvido em parceria entre o Brasil e a Turquia, os cavalos-mecânicos Cargo 2042 4x2 e Cargo 2842 6x2 são destinados para aplicações rodoviárias de longa distância e equipados com um pacote competitivo de conteúdo de tecnologia, segurança e economia.

São equipados com o novo motor FPT de 10,3 litros, que atende a norma Proconve P-7 (Euro 5), proporciona potência de 420 cv e torque de 1.900 Nm. A linha Novo Cargo extrapesado vem equipada de série com câmbio automatizado ZF ASTronic de 12 velocidades.

Os dois modelos incorporam de série controle automático de tração (ASR) e freios ABS com EBD, e o Cargo 2842 conta ainda com a opção do controle eletrônico de estabilidade (ESP).
Os novos Ford Cargo extrapesados oferecem internamente, a praticidade e conforto, com o novo volante de excelente empunhadura e revestimentos duráveis. Vidros e travas elétricos, retrovisores elétricos e ar-condicionado de fábrica são exemplos dos equipamentos oferecidos de série. A linha traz a configuração de cabine leito teto alto com ampla área envidraçada e garante fácil acesso às operações de manutenção e verificação.

No novo painel, estão dispostas ferramentas para auxiliar o monitoramento da economia do seu veículo, indicando ao motorista a melhor rotação de trabalho do motor para o menor consumo de combustível. Além disso, o motorista pode acompanhar em tempo real qual é o consumo de combustível e, ao final da viagem, conferir a autonomia e produtividade do veículo, entre outras informações relacionadas à operação do caminhão.

Os novos Cargo 2042 e Cargo 2842 incoporam além de freios ABS com distribuição eletrônica de frenagem, controle de estabilidade, controle de tração e freio-motor por descompressão, como equipamentos como travamento automático das portas e chave com código eletrônico antifurto.

O freio ABS com distribuição eletrônica de frenagem (EBD) evita o bloqueio das rodas e ajuda a manter o controle direcional do veículo em freadas bruscas. O sistema monitora a velocidade de cada roda e entra em ação quando detecta diferenças significativas entre elas. Variando a pressão do freio em cada roda, o EBD otimiza a aderência entre os pneus e o piso e regula a força de frenagem de acordo com a condição de carga do veículo.

O controle eletrônico de estabilidade (ESP) é outro recurso inteligente oferecido como opcional no Cargo 2842. O sistema conta com sensores que identificam se o caminhão está saindo do curso original e aciona os freios individualmente nas rodas, além de reduzir o torque do motor, se necessário, para mantê-lo sob controle. É uma assistência que ajuda o motorista a conservar o veículo na pista, em situações que a composição tenha fugido do seu comando.

Os novos extrapesados trazem um trem de força desenvolvido pela Ford Caminhões no Brasil e na Europa, formado pelo inédito motor FPT de 10.3 litros e 6 cilindros, com 420 cv de potência e 1.900 Nm de torque, combinado com a transmissão automatizada ZF de 12 velocidades, que permite escolher dois modos de troca de marchas: automático ou manual, através da alavanca tipo "joystick" no console.

Scania

Os destaques da Scania são os caminhões Streamline. A montadora irá lançar o Streamline, o V8, agora com configuração de rodas 6x4/8x4, chega para atender aos clientes que buscavam uma solução para esse segmento. O modelo estreia a impressionante capacidade máxima de tração de 250 t. O motor 16 litros V8 de 620 cv é o mais potente do mercado e pode desenvolver torque de 306 kgfm. Outra atração é o Streamline R 620 6x4. Ele possui tudo que há de mais moderno, melhor e com a mais alta tecnologia que a Scania pode oferecer mundialmente. O motor de 16 litros tem 8 cilindros em "V", gera 620 cv de pura potência e desenvolve torque de 306 kgfm.

"O Streamline cria um degrau superior de rentabilidade, disponibilidade e economia ao cliente", diz Eronildo Santos, diretor de Vendas de Veículos da Scania no Brasil. "Não se trata de substituição das consagradas cabinas G, R e R Highline, mas de uma adição de modelos. Estamos sempre em busca da melhoria continua".

A composição da nova gama contemplará na cabine G Streamline, modelos de 360 e 400 cv de potência e torques que variam de 1.850 a 2.100 Nm. As cabines R Streamline e R Highline Streamline oferecem caminhões de 400, 440, 480, 560 e 620 cv de potência e torques que variam de 2.100 a 3.000 Nm. Da mesma forma que o atual modelo R, o R Streamline V8 de 620 cv segue sendo o caminhão mais potente do mercado brasileiro. O desempenho está garantido pelos potentes propulsores de 13 e 16 (V8) litros e pelos mais altos torques da categoria dos pesados. São três tipos de configurações de roda: 4x2, 6x2 e 6x4.

Em termos de mercado, a Scania projeta uma participação importante do Streamline no mix de vendas. Atualmente, a marca é a líder no segmento acima de 45 toneladas de Capacidade Máxima de Tração (CMT) com um share de 34%, no acumulado de janeiro a junho. O Scania Streamline traz novos ganhos aos já eficientes trem de força e caixa automatizada Scania Opticruise que podem chegar a 4% de economia de combustível.

Para atingir esse bom índice, com o Streamline estreiam o modo econômico do Scania Opticruise, que representa 2% desse total; o sistema lubrificante da caixa automatizada (adição de 0,4%) e a nova aerodinâmica exclusiva de sua cabine, responsável por 0,6% do montante. Completa a somatória o Ecocruise, o piloto automático inteligente Scania, que contribuiu com o 1% restante.

Uma conta que é capaz de subir a 15%. É possível obter ainda mais ganhos de economia, em comparação a veículos que não usam defletor de ar e são conduzidos sem treinamento adequado. O uso do defletor e ajustes corretos nesse equipamento acrescentam mais 4%, que somados aos 7% de redução de consumo dos motores Euro 5 em relação à geração anterior Euro 3, garantem até 15% de diminuição na queima de diesel. Os propulsores Euro 5, lançados para a linha atual em janeiro de 2012, utilizam a tecnologia SCR, diminuidora também da emissão de gases - cerca de 80% menos de material particulado (MP) e 60% de Óxido de Nitrogênio (NOx) -, e o aditivo Arla 32.

Outros 10% de atenuação nos custos operacionais, podem ser obtidos com o aperfeiçoamento do operador via Programa de Treinamento de Motoristas.

Iveco

No estande da montadora será exibido o Hi-Way, um veículo desenvolvido sob a ótica do condutor. A sua cabine conta também com sistema de quebra-sol diferenciado, com cortina frontal elétrica, cortina lateral e blackout com interior claro para deixar o ambiente ainda mais acolhedor. Para os momentos de descanso, a Iveco equipou o Hi-Way com a cama High-Confort, concebida com tecnologia viscoelástica, que fornece conforto máximo ao usuário, além de não se deformar, ser lavável e antimofo. A estrutura mede 2,0 m x 0,80 m, o que permite acomodar diversos perfis de condutores. Como opcional, o veículo da Iveco oferece um beliche, com auxílio de dois amortecedores para facilitar o manuseio, escada em alumínio e possibilidade de ser completamente embutido na parede, deixando mais espaço interno para os ocupantes.

A cabine é equipada com climatizador de baixo ruído e baixo consumo, posicionado no teto. Mesmo com o motor desligado, ele consegue manter o ar refrigerado e umedecido. Para aumentar a comodidade, o condutor pode acionar o aparelho por controle remoto, deitado em sua cama. Também como item de série, o Iveco Hi-Way traz ar-condicionado digital, com controle automático de temperatura e direcionamento do ar por teclas para o motorista e para o ocupante.

O veículo tem também uma grande quantidade de porta-objetos, que auxiliam na organização do espaço interno, permitindo que os itens de uso pessoal e profissional do motorista fiquem sempre posicionados em locais acessíveis. A cabine traz geladeira e box térmico localizados entre o banco do condutor e do passageiro, com a possibilidade de serem acomodados sob a cama, sem comprometer o espaço interno da cabine.

Para obter uma direção segura e econômica, o motorista terá o auxílio de uma série de dispositivos. Exemplo disso é o computador de bordo, que traz informações completas e precisas sobre a condução do veículo. Por meio dele, torna-se possível visualizar níveis de pressão dos circuitos de freio, média de consumo de combustível, tempo de funcionamento do motor e indicador do nível de Arla 32, entre outras funcionalidades.

Também ganha destaque o Econômetro, integrado ao computador de bordo. O instrumento é um importante auxílio para o gerenciamento da frota. Como o próprio nome indica, ele aponta parâmetros precisos para uma direção mais eficiente, indicando consumo de combustível instantâneo e o nível de pressão do turbo.

Em nome da segurança, o Iveco Hi-Way traz piloto automático, que permite manter a velocidade desejada sem a necessidade de pisar no acelerador. Da mesma forma, o veículo conta com limitador de velocidade, que não permite que a velocidade máxima programada seja ultrapassada mesmo com carga no pedal de aceleração. Também atuando pela segurança do condutor, o Hi-Way teve cabine projetada para fornecer o máximo de visibilidade direta e refletida. Para as manobras, o Hi-Way traz dois retrovisores auxiliares frontal e lateral, ampliando ao máximo o campo de visão do motorista.

Um dos grandes destaques é o motor Cursor 13, da FPT Industrial. Os propulsores atendem às normas de emissões do Proconve P7 e utilizam sistema SCR para redução da emissão de poluentes. Forte, econômico e durável, o propulsor garante alto desempenho nas três versões em que está disponível no Iveco Hi-Way: 440 cv, 480 cv e o novo 560 cv.

Nos três casos, a potência máxima já está disponível a 1.900 rpm. O torque máximo dos novos motores chega a 2.100 Nm, na versão de 440 cv; 2.250 Nm, na versão de 480 cv; e 2.500 Nm, na versão de 560 cv, sempre na faixa de 1.000 a 1.550 rotações, o que garante uma direção mais agradável, maior amplitude de rotação dentro da faixa econômica e grande redução no consumo de combustível.

A versão de 560 cv, desenvolvida exclusivamente para as versões top de gama do Hi-Way, é resultado de um grande trabalho de engenharia em nome do alto desempenho e consumo reduzido de combustível. O propulsor faz uso de materiais nobres, que possibilitam a redução do seu peso e garantem resultado direto nos excelentes números de consumo do caminhão da Iveco. Exemplo disso é o uso de cabeçote em alumínio, 50% mais leve que o aço fundido, material geralmente utilizado neste componente.

O novo Cursor 13, 560 cv, utiliza a novíssima turbina VGT de geometria variável e aftercooler. O equipamento proporciona a redução do desgaste e do esforço na operação do turbo, resultando em mais eficiência no uso do combustível e durabilidade de todo o sistema. Essa nova tecnologia da FPT Industrial foi desenvolvida para substituir as tradicionais aletas móveis disponíveis atualmente no mercado, colocando no lugar um anel deslizante formado por uma peça única que abre e fecha de acordo com a necessidade de entrada de ar na turbina. Em baixas rotações, o anel se abre completamente. À medida que o giro do motor se eleva, o instrumento vai gradativamente se fechando, controlando o fluxo de ar.

Outro destaque da família Hi-Way é o freio motor por descompressão e borboleta, que garante potência de frenagem de 415 cv, uma das maiores do segmento. Esse componente garante maior segurança para o condutor e vida útil mais longa ao sistema de freio do caminhão, assegurando, consequentemente, mais rentabilidade para o transportador.

O Hi-Way também conta com freio auxiliar Intarder, que, combinado ao freio motor, chega em quase 1.000 cv, a maior potência de frenagem do seu segmento. Como adicional, esse sistema gera mais segurança no sistema antitravamento das rodas. Também nesse sentido, o Hi-Way traz de série ajustador automático de freios, freios ABS e sensor do nível de desgaste da lona.

O veículo premium da Iveco vem equipado de série com câmbio automatizado Eurotronic, com 16 velocidades, permitindo mudanças rápidas e precisas de marcha, traduzidas em ganho de conforto ao motorista e redução de consumo. Em nome de uma autonomia ainda maior nas grandes viagens, as versões 4x2 e 6x2 vêm equipadas com tanque duplo de alumínio, com capacidade de 600 + 220 litros. Nas versões 6x4, a capacidade é ainda maior, chegando a 600 + 300 litros.

DAF

A empresa mostra o XF 105 que será comercializado como cavalo-mecânico 6x4 e 6x2, equipado com motor Paccar MX, de 12,9 l e 410 cv ou 460 cv. O conjunto mecânico agrega alta tecnologia, assegurando potência, com menor consumo de combustível e índice de emissões.

"O XF 105 é um projeto que alia fatores de tecnologia e desempenho, fundamentais para o seu sucesso comercial em diversas regiões do mundo. No Brasil, nossa expectativa não é diferente, já que estamos oferecendo um produto de ponta, totalmente adequado ao sistema rodoviário local. Com essa visão, pretendemos conquistar 10% do mercado de caminhões pesados em cinco anos", afirma Michael Kuester, diretor Comercial da DAF Brasil.

Segundo o diretor, um dos segmentos de maior interesse da companhia é o de agronegócios. "O XF 105 é extremamente versátil para o transporte de cargas pesadas. Suas diferentes configurações oferecem soluções adequadas ao agronegócio brasileiro, um potencial cliente para a DAF Brasil".

O motor é um dos grandes diferenciais do XF 105. A alta tecnologia empregada no propulsor de seis cilindros em linha permite potência de 410 cv até 460 cv, e altos torques, que vão de 2.000 a 2.300 Nm, sendo o torque máximo disponível entre 1.050 e 1.510 rpm.

A transmissão do XF 105 é balanceada para otimizar o desempenho em todas as condições de operação, e para garantir o baixo consumo de combustível. É possível optar por câmbio manual de 16 marchas, ou ainda pela transmissão automatizada AS-Tronic da ZF com 12 ou 16 marchas.

Pensando nas diversas aplicações no mercado brasileiro, o XF 105 é oferecido em duas opções de cavalo-mecânico, com três eixos, de acionamento simples e duplo. A distância entre-eixos é de 3.200 mm na versão 6x2, e 3.500 mm, na versão 6x4.

A cabine do XF 105 é um dos grandes diferenciais do modelo, com projeto baseado em três pilares: conforto, produtividade e segurança. A companhia estabeleceu novos padrões de design, acabamento e ergonomia, baseados em constantes pesquisas com motoristas, em várias regiões do mundo.

O caminhão vem com duas opções de cabine, Confort e Space, ambas projetadas priorizando o espaço interno. Os materiais escolhidos pela DAF são de qualidade diferenciada, criando um ambiente agradável e sofisticado. Isso se aplica desde o acabamento da porta, até o moderno painel de instrumentos, passando pelas maçanetas, volante e interruptores, posicionados de modo lógico e funcional. A área de dormitório do XF105 é espaçosa e confortável.

O painel de instrumentos também foi desenvolvido considerando a funcionalidade e conforto. O computador de bordo oferece informações sobre o consumo real de combustível no visor integrado ao cluster. Após o desligamento do motor, o motorista pode verificar a média de gasto da viagem, o que o permite avaliar o estilo de condução.

Ainda visando à segurança, a DAF foi a primeira empresa a oferecer a Night Lock (trava noturna). Trata-se de uma trava mecânica montada na parede lateral da cabine, com um pino de aço temperado, que corre para dentro do descanso de braço da porta. O dispositivo garante mais segurança quando o motorista estiver dormindo na cabine.

Mercedes-Benz

Entre as estrelas exibidas no estande da montadora estarão os novos modelos Atego 2430 6x2 e Atego 1729 coletor de lixo, ampliando sua linha de caminhões semipesados. A Mercedes-Benz também apresenta diversas outras novidades para a linha Atego, como nova geração de eixos traseiros, interior totalmente renovado com disponibilidade de cama king size, e configuração opcional de dois tanques de combustível, ampliando a capacidade total para 600 litros de diesel nos modelos Atego 2426 e Atego 2430. Além disso, toda a linha Atego oferece o novo conceito de suspensão de cabina.

O Atego 2430 é o primeiro caminhão do segmento de semipesados a receber o câmbio totalmente automatizado Mercedes PowerShift, sem pedal de embreagem. Ele pode ser operado no modo automático ou manual, dependendo da preferência do condutor. A manopla está localizada num console rebatível junto ao apoio de braço do banco do motorista. O novo câmbio Mercedes Powershift G211 de 12 marchas, com a última marcha direta, poupa o trem-de-força de abusos e realiza os engates de forma rápida e suave, aumentando significativamente o conforto de operação.

O câmbio Mercedes PowerShift G211 também traz como novidade o EcoRoll, tecnologia já aplicada no Actros. Esta função coloca a transmissão do veículo em "neutro" de forma segura e controlada, procedimento que é executado sem a intervenção do motorista, auxiliando na redução de consumo de combustível.

Adicionalmente, tem-se a opção de acionar-se o modo Power que durante 10 minutos libera mais rotação do motor para facilitar ultrapassagens ou para vencer aclives íngremes. Outra vantagem desse câmbio é a ausência de anéis sincronizadores, contando com engrenagens mais largas e robustas, que aumentam a durabilidade e simplificam a manutenção.

O Atego 2430 continua a oferecer o câmbio manual Mercedes G131 de 9 marchas, que conta agora com novo mapa de engate, do tipo H sobreposto, que melhora a ergonomia, facilita o engate das marchas e minimiza a possibilidade de eventuais erros de operação.

O motor OM 926 LA do Atego 2430 ganhou um novo conceito de curva de torque e atinge 1.250 Nm a 1150 rpm. Com isso, a dinâmica de engates das marchas foi otimizada para minimizar as trocas, mantendo a velocidade operacional do veículo. O novo conceito de torque faz com que o motorista intuitivamente trabalhe na rotação de menor consumo de combustível e maior conforto. Além disso, o motor recebeu melhorias no acionamento do sistema de arrefecimento e compressor de ar.

Na nova linha de eixos são oferecidas novas relações, para atender a demanda do mercado por soluções cada vez mais econômicas no transporte de cargas. As novas relações, além da economia de combustível, trazem como outro importante benefício o menor nível de ruído na cabina, proporcionando maior conforto para o motorista e maior durabilidade do motor, graças à redução da rotação de trabalho.

Para aumentar ainda mais o conforto oferecido pelas camas das cabinas Leito Teto Baixo (LTB) e Leito Teto Alto (LTA) da linha Atego, a Mercedes-Benz lança a inédita versão king size. Uma cama dupla que assegura excelente nível de conforto graças ao maior espaço disponível (meio metro a mais na largura), propiciando períodos revigorantes de descanso e ótimas noites de sono para o motorista.

O Atego 2430 e o Atego 2426, com distância entreeixos de 5.400 mm, podem receber a configuração de dois tanques de combustível de 300 litros cada um, totalizando uma capacidade de 600 litros. Dessa forma, fica garantida maior autonomia, vantagem especialmente indicada para as aplicações rodoviárias de longa distância.

Outro destaque é o Atego 1729, que com distância entre eixos de 4.800 mm, foi especialmente preparado para receber compactadores de até 19 m³, na versão 6x2 com 3º eixo implementado por terceiros, oferecendo assim excelente capacidade de carga, atendendo plenamente às demandas do segmento. Esse novo produto amplia a oferta da marca para coleta de lixo, juntando-se aos modelos 4x2 Atego 1719 e 1726, com distância entreeixos de 3.600 mm, para compactadores de até 15 m³.

O trem de força do Atego 1729 é composto pelo motor Mercedes-Benz OM 926 LA, de 286 cv de potência e 1.120 Nm de torque, transmissão manual Mercedes-Benz G-131 de 9 marchas com novo mapa de engate do tipo H sobreposto, mais leve e mais ergonômico, eixo traseiro Meritor de simples velocidade e embreagem reforçada de 430 mm de diâmetro, típica de um caminhão extrapesado.

Confirmando sua vocação para o segmento, o Atego 1729 vem equipado de série, com tudo o que é necessário para a aplicação de coleta de lixo, incluindo tomada de força na traseira do motor, escape vertical (ideal para operações onde há pessoas trabalhando em torno do veículo) e suspensão traseira reforçada, com molas curtas.

Esse novo caminhão Mercedes-Benz pode alcançar 23.000 kg de PBT (peso bruto total) com a instalação do 3º eixo por implementadores. Porém, sua capacidade técnica chega ao PBT de 24.100 kg, comprovando sua robustez e oferecendo ótima reserva técnica para o melhor rendimento e durabilidade do conjunto.

Outro destaque é o extrapesado Axor 3131 com tração 6x4. Este veículo foi especialmente desenvolvido para severas operações fora-de-estrada da agroindústria canavieira e madeireira, mineração, construção civil e obras de infraestrutura, caracterizadas por locais sem pavimentação, pistas de terra e cascalho, topografia irregular e grandes aclives e declives.

Para oferecer amplas possibilidades de escolha para os clientes, o Axor 3131 é oferecido nas versões basculante (K), para transporte de pedras, areia e brita; betoneira (B), para produção de concreto; e plataforma (P), para bombas de concreto, plantio e colheita de cana-de-açúcar, madeira de reflorestamento e serviços de apoio no campo, entre outras aplicações.

O Axor 3131 conta com o câmbio semi-automatizado Mercedes-Benz ComfortShift G-211 de 16 marchas. Disponível para outros caminhões extrapesados Axor fora-de-estrada, o acionamento para troca de marchas é feito por um conjunto de válvulas eletropneumáticas controladas eletronicamente, não existindo ligação mecânica entre a alavanca seletora de marchas e o câmbio.

Metro-Shacman

A empresa exibe seus caminhões que atualmente vende no mercado brasileiro e apresenta o protótipo do primeiro veículo da marca a ser fabricado no Brasil a partir do ano que vem. A empresa também vai expor uma linha de produção completa com os componentes já em desenvolvimento no País. Em estande com 650 m² de área, mostrará a sua atual linha de modelos, composta pelos cavalos-mecânicos TT 420 6x4, TT 385 4x2 e TT 385 6x4 e o Shacman LT 385 6x4, que permite a aplicação de carrocerias ou implementos para atender aos mais diferentes tipos de transporte de cargas pesadas e extrapesadas.

Marcos Gonzalez, diretor de Desenvolvimento de Negócios, informa que a principal novidade é o protótipo do primeiro modelo de caminhão pesado a ser produzido pela empresa no Brasil, como resultado do trabalho de suas áreas de Engenharia e Planejamento do produto. Trata-se de um cavalo-mecânico TT 440 6x4, com mais de 60% de seus componentes pertencentes a fornecedores já instalados no País para atender ao programa Inovar-Auto.

Esse veículo é equipado com motor Cummins ISM 11 P7, de 10,8 litros e potência de 440 cv. Simultaneamente ao desenvolvimento do novo modelo e à sua adaptação às condições de estradas, clima, legislação e tipos de cargas do País, a Metro-Shacman intensifica as ações que envolvem a instalação da fábrica, o desenvolvimento de fornecedores, o programa de seleção de concessionárias e as parcerias com fabricantes de implementos, administrada pela sua divisão de engenharia.

Reinaldo Maluta Vieira, diretor de Marketing da Metro-Shacman, informa que todas as fases do programa de instalação da fábrica brasileira estão sendo cumpridas nos prazos previstos, para permitir o início de produção oficial no segundo semestre de 2014. De acordo com a habilitação ao programa Inovar-Auto, obtida junto ao MDIC, a Metro-Shacman está autorizada a importar 2.500 caminhões, até junho de 2014, para venda no Brasil. O executivo ressalta também que, além de ter sido a primeira marca de origem chinesa a conquistar a habilitação ao Inovar-Auto, a Metro-Shacman tem uma vantagem importante para tornar mais rápido o início de fabricação dos veículos no Brasil e atingir o índice de nacionalização dos veículos exigido pela legislação brasileira. Eles serão equipados com sistemas e componentes fornecidos por importantes empresas internacionais de autopeças instaladas no País.

De acordo com Vieira, esse é um fator importante para a empresa, o que reduzirá o tempo necessário para o cumprimento do processo de nacionalização dos veículos previsto pelo Inovar-Auto. Entre os principais componentes, Vieira ressalta o motor Cummins, que atende ao Proconve P7, desenvolvido exclusivamente para a versão brasileira, além de toda a configuração dos veículos, estudada para garantir perfeita adaptação às condições de clima, estradas, legislação e tipos de cargas transportadas. E exemplifica que o protótipo que será apresentado na Fenatran contará com componentes produzidos no Brasil por fornecedores como a Cummins, Meritor, ZF, Dana, Eaton, Suspensys, e outras empresas de atuação internacional.

Em termos de produtos, a Metro-Shacman intensificou o programa de testes e da adequação dos veículos às características das estradas e das cargas transportadas no Brasil, a parcerias com fabricantes de implementos rodoviários e ao desenvolvimento da rede de concessionárias.

Por intermédio de parceria com empresas de autopeças, a engenharia da Metro-Shacman procedeu ao desenvolvimento do protótipo brasileiro do caminhão Shacman, com base na plataforma do veículo chinês, mas com conteúdo fornecido por fabricantes brasileiros que permite chegar à Fenatran com índice de nacionalização superior a 60%.

Entre os investimentos já realizados, a Metro-Shacman contabiliza a aquisição do edifício e da área onde está montada a sede da empresa, os programas de desenvolvimento dos veículos e a importação de um lote de 100 caminhões, cujo total supera o montante de R$ 50 milhões. Parte desses veículos já foi vendida pelas concessionárias instaladas no estado de Mato Grosso, forte região de produção agrícola, e algumas unidades foram utilizadas no programa de testes e desenvolvimento do produto e na participação da empresa em eventos, como feiras e exposições.

Man/Volkswagen

A MAN Latin America apresenta sua nova linha de cavalos-mecânicos. A linha de extrapesados passa a ser ainda mais completa, graças aos novos cavalos-mecânicos VW Constellation 19.420, 25.420 e 26.420 Tractor, equipados com motor de 420 cv de potência e transmissão automatizada de série. Os produtos, principais lançamentos da montadora em 2013, chegam para suprir uma importante demanda do mercado, e reforçam ainda mais o conceito sob medida e a preocupação constante da empresa em oferecer uma gama completa e eficiente para seus clientes. Os veículos estão equipados com a nova transmissão automatizada V-Tronic modelo ZF 16 AS 2230 TD, de 16 velocidades, semelhante às utilizadas nos caminhões MAN TGX.

A introdução da transmissão combinará o baixo custo de manutenção de uma caixa de câmbio manual, com a facilidade da mudança automática de marchas, proporcionando conforto, segurança e maior produtividade ao motorista e economia na operação. Com grande capacidade de torque, a nova caixa possui carcaça fabricada em alumínio e dispensa o uso de anéis sincronizadores, reduzindo o peso do veículo que poderá ser revertido em maior capacidade de carga.

Atrelado à caixa de câmbio, o novo sistema EasyStart, uma novidade nos caminhões Volkswagen, auxilia a partida do caminhão em rampa e mantém o freio de serviço acionado por até três segundos, após cessar o acionamento do pedal de freio, evitando assim que o veículo se movimente. Para garantir total conforto e segurança dos condutores durante a operação, os novos caminhões Volkswagen V-Tronic não apresentam pedal de embreagem.

A nova transmissão automatizada poderá ser acionada por meio de alavanca posicionada estrategicamente ao lado do banco do motorista, de dois modos diferentes: automaticamente e manual. Os cavalos-mecânicos VW Constellation com 330 cv de potência também poderão ser equipados com a nova transmissão automatizada V-Tronic, para comodidade do transportador.

Para garantir a segurança operacional do motorista, a MAN Latin America agrega em todos os cavalos-mecânicos da marca, recursos tecnológicos adicionais como os sistemas de freios ABS, EBD e o ATC. O sistema de freios ABS (Anti-lock Brake System) impede o travamento das rodas durante uma frenagem excessiva, colaborando para a manutenção da dirigibilidade e estabilidade do veículo em curvas, além de minimizar a distância de frenagem entre os veículos.

O EBD (Electronic Brake Distribution) controla e gerencia a distribuição da pressão de frenagem entre os eixos dianteiro e traseiro, de forma a garantir um melhor equilíbrio e estabilidade do veículo e maximizar a eficiência do sistema de freios ABS. Já o sistema ATC (Automatic Traction Control) controla a velocidade das rodas e o torque do motor, de forma a evitar que o veículo patine em condições de piso escorregadio. O novo sistema também auxilia a partida do veículo em rampas e preserva os componentes do trem de força, reduzindo assim os custos de manutenção.

Fortalecendo a parceria com seus clientes, a MAN Latin America lançará na Fenatran 2013 o programa "Meu primeiro 420", que oferecerá condições especiais para aqueles que adquirirem os caminhões da nova linha 420 cv. A ação incentiva os clientes formadores de opinião a comprovarem na prática as vantagens operacionais dos veículos, reforçando o comprometimento da montadora com a satisfação contínua de seus públicos estratégicos.

Os novos cavalos-mecânicos receberão a nova opção de cabine Constellation leito teto baixo. A novidade também poderá ser estendida a toda linha Constellation, de acordo com cada aplicação e tipo de implemento. Além das características já conhecidas dessa renomada cabine, o novo modelo foi desenvolvido para aplicações rodoviárias de longa distância, que exigem a necessidade de espaço interno para o descanso do motorista e para aquelas aplicações de transporte com limitação de altura da cabine para acoplar o implemento. Poderá ser utilizada para o transporte de frigorífico, cegonheiro, basculante e carga seca, entre outros.

Dentro da nova cabine Constellation estão disponíveis cortinas que proporcionam privacidade ao motorista e permitem separar as áreas de trabalho e descanso. A grande quantidade de porta-objetos para utensílios de trabalho e espaço para bagagem oferece total conforto aos ocupantes.

Os veículos são equipados com o novo motor Cummins ISL de 420 cv de potência, torque máximo de 1.850 Nm, dotados de tecnologia SCR (Redução Catalítica Seletiva) e em conformidade com o Proconve P-7 no Brasil, equivalente ao Euro 5. Os novos modelos Constellation Tractor foram desenvolvidos para atender à demanda do transporte de cargas em aplicações rodoviárias de até 63 toneladas de peso bruto total combinado (PBTC).

Os cavalos-mecânicos Volkswagen com 330 e 390 cv de potência também poderão ser equipados com a nova transmissão automatizada V-Tronic, sendo mais uma opção para o transportador.

Na linha MAN TGX, as mudanças são em design: no painel da grade frontal foram introduzidas as letras MAN em novo formato e maior tamanho. O leão do símbolo foi reposicionado para a parte superior, cromada. As mudanças garantem ainda mais conforto e tecnologia para a linha de extrapesados da MAN Latin America, com produtos entre 330 e 440 cv de potência.

Junto com a chegada dos novos produtos, a MAN Latin America anuncia o investimento de R$ 11 milhões na ampliação da capacidade de sua segunda linha de montagem em Resende, RJ. A área comporta agora a produção do dobro de veículos, passando de oito para 16 unidades por turno. Esse volume adicional será destinado ao aumento de capacidade dos modelos MAN TGX, micro-ônibus e novos projetos, já contribuindo para maior flexibilidade na linha principal. A montadora comemora ainda a marca de 50 mil motores MAN D08 produzidos no Brasil, apenas 20 meses após o início da produção no Brasil.

International

Os caminhões International que estarão na 19ª Fenatran terão uma grande parte de seus componentes produzidos aqui no Brasil. Os modelos DuraStar e 9800i, fabricados em Canoas, no Rio Grande do Sul, atendem a 100% dos requisitos Finame. A planta foi projetada seguindo os rigorosos sistemas de manufatura e qualidade estabelecidos mundialmente pela empresa.

O International 9800i é oferecido nas versões 6x2 e 6x4 com opções de transmissão manual (13 marchas) e automatizada (18 marchas). O modelo utiliza o motor Cummins ISM, que apresenta excelente média de consumo de combustível e freio motor por compressão, com potência de frenagem de até 330 cv. A cabine é de alumínio e seu chassi tratado termicamente, propiciando mais leveza e durabilidade ao modelo que também possui suspensão traseira a ar e freios ABS de série. Os eixos traseiros sem redução no cubo possibilitam menor ruído em estrada e maior economia de combustível. Na versão automatizada (UltraShift Plus), o 9800i é o único no mercado a oferecer 18 marchas, que possibilitam melhor escalonamento. Possui auxílio de parada em rampa e módulo em descida de serra, otimizando o uso do freio motor e propiciando maior produtividade do caminhão além de conforto ao motorista.

Em ambas as versões, o modelo 9800i oferece cabine de alumínio, com teto alto e a maior cama do mercado. Podem puxar semirreboque, bitrem, rodotrem, bitrenzão, prancha, porta-container, tanque e basculante.

O International DuraStar é um caminhão semipesado disponível nas versões 4x2, 6x2 e 6x4. Utiliza o motor MWM MaxxForce 7.2H de 274 cv que apresenta excelente desempenho e economia de combustível. O design da cabine permite rápido acesso ao motor e aos itens de manutenção periódica, além de oferecer excelente ergonomia e dirigibilidade.

As versões 4x2 e 6x2 são indicadas para baú frigorífico, furgão de alumínio, carga seca, tanque, guincho/plataforma e compactador de lixo. Já o DuraStar 6x4 é um caminhão forte e robusto, ideal para operações que mesclem acesso a estradas de terras e rodovias, como caçamba basculante, cisterna, bombeiro agrícola, canavieiro, madeireiro e munck (guindaste).

Os caminhões International 9800i e DuraStar, em todas as suas versões, são produzido no Brasil, contam com alto índice de conteúdo local e atendem 100% às regras do Finame e o programa Inovar Auto.

Focada na qualidade dos serviços e satisfação dos clientes, a empresa ampliou sua rede de atendimento com a nomeação de 20 Serviços Autorizados. Somados às 15 concessionárias da marca, totalizam 35 pontos em todo território nacional para atendimento aos proprietários de caminhões International. Em constante treinamento e aprimoramento técnico, contam com oficinas aptas a avaliar as necessidades dos caminhões, realizar reparos e dar toda assistência necessária através de ferramentas de diagnóstico específicas. Além disso, os pontos de Serviços Autorizados contam com disponibilidade de peças para reposição, estando integrados ao sistema de garantia e assistência técnica da marca.

Volvo

Quem visitar o estante da Volvo na Fenatran verá a nova Linha VM que teve grandes mudanças externas que deixou sua aparência muito próxima a dos novos caminhões FH lançados recentemente na Europa.

"A parte frontal da cabine foi totalmente redesenhada, a começar pelos novos faróis. As luzes diurnas (day running light) de LED são em forma de 'V', separadas da luz baixa, proporcionando ainda melhor visibilidade", explica Álvaro Menoncin, gerente de Engenharia de Vendas da Volvo no Brasil. As luzes de LED em 'V' servem também como elemento de identificação visual dos caminhões da Volvo.

Todo o módulo do para-choque que envolve os faróis foi renovado com uma estrutura em termoplástico, uma grade e uma tampa para engates de reboque. Ao módulo do para-choque integra-se a nova grade, dando à cabine um aspecto ainda mais moderno e, ao mesmo tempo, de maior robustez.

O caminhão também ganhou um novo painel frontal superior, que ficou maior e toma boa parte da porção superior da frente do veículo, dando ao conjunto uma impressão de continuidade.
Internamente, a Volvo decidiu manter a atual ergonomia do caminhão, já amplamente aprovada pelos motoristas e que reconhecem no VM o melhor ambiente de trabalho entre os veículos de carga nesta categoria.

Nas configurações 8x2 e 8x4, os transportadores podem usar o novo VM para rodar em operações de média distância, transportando matérias-primas e produtos industrializados, entre outros. Na aplicação vocacional, as betoneiras e caçambas são um bom exemplo para o VM 8x4.

"Estamos constantemente desenvolvendo novos produtos que possam agregar mais valor para o transportador brasileiro. Os novos veículos com quatro eixos garantem um rendimento energético melhor, proporcionando maior rentabilidade ao transportador", complementa Sérgio Gomes, diretor de Estratégia de Caminhões do Grupo Volvo América Latina, referindo-se a um consumo menor por tonelada transportada.

Os caminhões com quatro eixos garantem aumento de capacidade de carga. "Nosso compromisso é desenvolver e fabricar o melhor caminhão do mercado, mas também proporcionar maior rentabilidade ao transportador", diz Bernardo Fedalto, diretor de Caminhões Volvo do Brasil. Os novos VMs 8x2 e 8x4 são os mais recentes desenvolvimentos nesta área.

"Dependendo do tipo de operação, os caminhões com quatro eixos podem transportar cerca de 5 toneladas a mais de carga líquida em relação a um veículo de 3 eixos", diz Ricardo Tomasi, engenheiro de Vendas da Volvo no Brasil. "Na prática, esse aumento representa um ganho de uma a cada quatro viagens", calcula Sérgio Gomes, diretor de Estratégica de Caminhões do Grupo Volvo América Latina.

Ao adquirir um caminhão com quatro eixos de fábrica, o transportador ganha também tempo, pois não precisa mandar um caminhão 6x2 para colocar mais um eixo em um implementador. "É um tempo precioso, que pode ser usado com o caminhão rodando na estrada", comenta Marco Mildenberg, engenheiro de Planejamento do Produto da Volvo. Além desta vantagem, ele enumera outros benefícios: garantia de fábrica, confiabilidade de um produto Volvo e um projeto desenvolvido pela própria marca.

Na configuração 8x2, o transportador pode optar por caixas de 6, 9 ou 12 marchas. Na versão 8x4, as caixas de câmbio podem ter 10 ou 12 marchas. "O transportador tem uma gama variada de transmissões que certamente se adequa ao tipo de operação na qual ele trabalha", afirma Álvaro Menoncin, gerente de Engenharia de Vendas da Volvo no Brasil.

O segundo eixo direcional possui um suspensor para economia de pneus e combustível. Seu comando é no painel, proporcionando fácil acesso e mais conforto ao motorista. Uma exclusividade Volvo, para garantir ainda mais segurança à operação de transporte, o VM com quatro eixos também tem um sensor de carregamento. Este dispositivo evita que o motorista levante equivocadamente o eixo direcional, após o caminhão ter atingido velocidade superior a 10 quilômetros por hora, evitando operação com sobrecarga.

A caixa de câmbio que está sendo introduzida nos caminhões VM é a mesma que equipa o FH. "É uma transmissão que experimentou um sucesso espetacular em poucos anos", destaca Sérgio Gomes.

"Além de um consumo menor, esta transmissão garante maior conforto para o motorista e segurança para todo o conjunto", diz Francisco Mendonça, gerente de Caminhões da Linha VM. Mais moderna que as transmissões semelhantes existentes hoje no mercado, a caixa eletrônica Volvo tem embreagem, mas não tem pedal.

Na prática, isso significa que o motorista não precisa fazer nenhum esforço e não se preocupa em trocar marchas. No modo automático, por exemplo, é só acelerar e frear. No modo manual, as trocas também são precisas e garantem excelente dirigibilidade.

O grande número de marchas à disposição (12 marchas) é indicado no display do computador de bordo. O motorista pode se situar melhor durante a condução do caminhão. No visor, ele pode monitorar em que marcha está naquele momento e quais são as outras disponíveis, tanto para baixo como para cima.

E o motorista também pode escolher o modo de condução: econômico, quando está em velocidade de "cruzeiro", ou de potência, quando, por exemplo, está trafegando por um trecho bastante íngreme. Para garantir o conforto do condutor, o seletor foi instalado ao alcance da mão.

As 12 marchas e a eletrônica integrada ao motor proporcionam o máximo de conforto ao dirigir. As trocas de marchas são feitas de maneira suave e silenciosa, ajustando os padrões de mudanças de acordo com as condições reais de condução.

Além da nova linha VM, estarão no estante da Volvo, o modelo FH que oferece excelente dirigibilidade a cada quilômetro. Ideal para longas distâncias, além de ser rápido e rentável e de baixo custo operacional com elevada disponibilidade.

O novo trem de força do Volvo FH, motor D13C em combinação com a transmissão I-Shift, fornece um fluxo de potência fantástico e tem o potencial de reduzir o consumo de combustível em 5%.

Os caminhões Volvo primam pela segurança e contam com o sistema ESP - Controle Eletrônico de Estabilidade conjugado com o sistema de controle eletrônico de freios - EBS. Os cintos de segurança de três pontos com sensores monitoram movimentos repentinos, e um airbag SRS pode ser encontrado no lado do motorista. O caminhão também conta com o piloto automático inteligente (ACC).

Mas se o seu local de trabalho é uma área acidentada, o modelo ideal é o Volvo FMX, criado especialmente para tarefas vocacionais pesadas, transporta cargas pesadas sem problemas diante de terrenos ruins e grandes subidas ou descidas.

É equipado com o novo FMX 13 litros, com motorização SCR (Selective Catalytic Reduction ou Redução Catalítica Seletiva), adequada às normas de emissões de poluentes Proconve P7/Euro 5, que além da redução de poluentes, torna os caminhões ainda mais produtivos, econômicos e velozes. As potências também são maiores: 420cv, 460cv e 500cv são as opções para a linha FMX. E as cabines são extremamente confortáveis e seguras.

Todo o Volvo FMX envolve "carga pesada". Desenvolvido especialmente para trabalho de construção pesada, como em pedreiras, canaviais e minas, seu domínio está onde outros caminhões não se atrevem ou simplesmente não podem ir.

O Volvo FMX tem uma grande variedade de configurações de eixo que facilita a adaptação do caminhão até mesmo para a mais pesada das tarefas de transporte. Assim, você nunca precisará correr o risco de ficar atolado na lama.

O chassi do Volvo FMX foi projetado para suportar condições extremas. As longarinas e travessas garantem o máximo de resistência e pouco peso, enquanto a barra em 'V' da suspensão e a barra de reação são dimensionadas para suportar forças consideráveis.

Redação: Graziela Potenza e Francisco Reis
Fonte: Revista Caminhoneiro


< anterior   Ver todas   próxima >